TOP BLOG

TOP BLOG
Espiritismo Redivivo

sexta-feira, 22 de maio de 2009

CIDADANIA COMPORTAMENTAL

CIDADANIA COMPORTAMENTAL

A cidadania nada mais é do que a qualidade ou estado de cidadão. A educação do homossexual na área do sexo, à luz da Doutrina Espírita, não se fará com a eliminação dos seus reflexos mentais de feminilidade ou masculinidade, pois estes já constituem patrimônio íntimo, adquiridos em experiências nas reencarnações sucessivas, nos milênios. O que é bom no Espírito deve ser conservado, cabendo somente o dever de aperfeiçoar e purificar estas qualidades. É imprescindível que o homossexual trabalhe a espiritualização de sua própria personalidade para que possa, através dela, dominar os desejos inferiores, conter as aberrações sexuais e distanciar-se da promiscuidade sexual, direcionando suas energias psíquicas com muito esforço interior para que as obras da fé superior, da caridade, da virtude e das artes.

O Espiritismo explica o fenômeno da homossexualidade pela inversão do corpo físico, ou seja, em oposição à característica masculina ou feminina registrada profundamente no arquivo mental de cada Espírito, acumulada através das sucessivas experiências reencarnatórias. A personalidade sexual de cada Espírito está guardada na mente. A doutrina espírita por ser uma Doutrina filosófica, trata também do aspecto religioso e científico relacionados ao ser humano. A Revista –(ISTO É) traz em seu bojo mais uma matéria polêmica inserida no exemplar de número 2062 de 20 de maio de 2009. “Enfoca o assunto “Cidadania Gay” ou “Cidadania Homossexual”. E adianta que o plano lançado pelo governo federal estabelece direitos dos homossexuais, que têm obtido avanços importantes na justiça. E os deveres onde ficam? Se existem direitos os deveres também são institucionalizados.

Essa vitória é uma conquista da sociedade brasileira, diz Antonio Ferreira, que ganhou no Tribunal Superior do Trabalho (TST) o direito à indenização de R$ 1,3 milhão do Bradesco por homofobia. Homofobia é aversão a homossexuais ou ao homossexualismo. Não fazemos discriminações a nenhum ser humano e a opção sexual de cada um, mas se Deus existe o que consta nos escritos bíblicos o mundo poderá virar uma Sodoma e Gomorra com nuanças mais perigosas. O normal conforme o determinismo do ser humano seria um homem para uma mulher. Vamos imaginar como ficará o âmbito social e público com dois homens se beijando e com duas mulheres se acariciando e beijando-se ao mesmo tempo em público.

Vemos ou vislumbramos um perigo de transtorno da sociedade, onde as crianças ainda não têm consciência formada e como se portarão perante aos pais e familiares. O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro na contramão, ao julgar um pedido de ação popular – impetrada para devolução aos cofres públicos dos recursos doados pelos governos, estadual e municipal para a última Parada do Orgulho Gay, o desembargador Cláudio de Mello Tavares mostrou que há ainda há muito a avançar para reduzir o preconceito no País.

Se a homossexualidade é um transtorno da personalidade como afirmou o desembargador deveria ser tratado por médicos psiquiatras e não se aprovar de pronto uma opção sexual que não traz benefícios a coletividade e tão somente ao ciclo de homossexuais. A revista em si trata o problema com um só viés, os ditos pertencentes ao “terceiro sexo”. Seria o caso de se fazer um plebiscito para saber a opinião da população e acabar de vez com estas churumelas. Guilherme Mallas terá direito à pensão de seu companheiro, o PM Antônio Módulo. Queremos saber se haverá desquites e divórcios no caso da aprovação da cidadania Gay. No Brasil o errado é que está certo. Arlécia Duarte e Maria Letícia Mariano conseguiram que no registro do filho constassem duas mães. Se existem duas mães onde estariam os dois pais? Com certeza esta criança num futuro bem próximo poderá ser alvo de problemas psicológicos, pois os filhos são resultados da união de casais, homens e mulheres.

Ele poderá pensar o seguinte: se eu tenho duas mães onde estão meus pais? Como fui gerado? O que se discute é o que está acontecendo no presente, mas a justiça deveria estudar muito bem o que se sucederá no futuro. Homem com homem não gera nada, mas poderá gerar violência. Nos casos das uniões de mulheres poderá gerar violência e problemas sociais. Existem no Brasil coisas mais importantes para serem tratadas. Que os homossexuais se unam tudo bem, o que não pode acontecer é a regularização judicial do “terceiro sexo”. Nos noticiários policiais temos presenciados crimes violentos envolvendo homossexuais e como se comportam uma boa parte deles nas ruas e avenidas principalmente no período noturno é um escancaramento total. A sodomia é uma palavra de derivação latina sodomia, que tem como sinonímia a conjunção sexual anal, entre homem e mulher, ou entre homossexuais masculinos. No discurso corrente de políticos, comunicadores, dirigentes, educadores, sociólogos e uma série de outros agentes que, de alguma maneira, se mostram preocupados com os rumos da sociedade, está presente a palavra cidadania. Como é comum nos casos em que há a superexploração de um vocábulo, este acaba ganhando denotações desviadas do seu estrito sentido.


Hoje, tornou-se costume o emprego da palavra cidadania para referir-se a direitos humanos, ou direitos do consumidor e usa-se o termo cidadão para dirigir-se a um indivíduo qualquer, desconhecido (Marcos Silvio de Santana) . Ainda dentro das aberrações sexuais existe a molície que vem de molição derivação latina de molitione que representa o grande esforço para alcançar um fim ou realizar alguma coisa. Na antiguidade existiam mulheres com clitóris avantajados que tentavam até conseguir a penetração em outra mulher. Como tudo pode acontecer, se um ser humano com esta distorção quiser fazer penetração no homem aí será o fim. “No corpo feminino se encontra uma parte que os anatomistas chamam “clitóris”. Esta parte é composta dos mesmos elementos que o pênis do homem, isto é, de raízes, artérias, carne. Ela teria também a forma do pênis quando inchada; o clitóris é inflado pelo movimento dos sopros seminais. Ele seria provido, como o pênis, de uma glande; em cima da glande há um orifício que, entretanto, não se percebe senão na metade do corpo do clitóris e pelo qual não se vê sair nem urina, nem esperma, nem qualquer humor (“humeur”).

O clitóris se localiza dentro do “pudendum” da mulher, acima do canal urinário; ele é coberto pelas “nymphes”, dois corpúsculos contíguos ao dito canal (Minisa Nogueira Napolitano Mestranda UNESP/ Franca). Entre as mulheres, o clitóris é o órgão de deleitação venérea... Encontra-se em todas as mulheres, mas nem todas os possuem descobertos ou o fazem para sair do vaso do pudor: se percebe somente uma pequena protuberância nesse lugar do corpo da mulher onde se esconde o clitóris; e esta proeminência pode sair mais para fora das partes vizinhas se, por efeito de excitação venérea, o membro em questão estiver inchado interiormente”. “Na Europa, ao contrário, não é desenvolvido a não ser em certas mulheres; entre aquelas que, por abundância de calor e de sêmen, possuem sopros seminais vigorosos que inflam o clitóris e o fazem sair, e também entre aquelas que, na infância se tocam as partes genitais sob o estímulo de precoces desejos. “Entre algumas mulheres o clitóris é do tamanho do dedo médio da mão, entre outra é maior”. É um assunto que deve ser cuidadosamente estudado pela justiça, pela sociedade e por todos de um modo geral. Será que trará algum benefício para a sociedade a união Gay? Fica a indagação no ar. Vejam que o apóstolo Paulo diz na Bíblia: "Digo que seria bom ao homem não tocar mulher alguma. Porém, para evitar a fornicação, tenha cada um sua mulher, e cada mulher o seu marido", e continua o apóstolo Paulo, "digo-vos isto, não por mandamento, mas por uma condescendência", e conclui, "se não se contêm, casem-se; pois é melhor casar-se do que abrasar-se".Pensem nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES- MEMBRO DA ACI E DA ALOMERCE

Nenhum comentário:

Antonio Paiva Rodrigues

Minha foto
Fortaleza, Ceará, Brazil
Este blog tem por finalidade divulgar o jornalismo pelo Brasil e no mundo. Bem como assuntos doutrinários e espirituais.