TOP BLOG

TOP BLOG
Espiritismo Redivivo

sábado, 4 de dezembro de 2010

UM NATAL DIFERENTE

UM NATAL DIFERENTE




Um dia especial para os cristãos, data de festas, de amor e celebração.



Data imantadora onde o amor renasce, reluz e fala mais alto o coração,



No almejar da paz, da felicidade, da fraternidade, prevaleça o perdão e o amor;



Sem orgulho, presunção, inveja, materialidade onde esteja presente o louvor.





Ative o seu ser, renove seu coração coloque em primazia, o seu potencial de energias.



Num azimute belo, numa psicosfera de luz, num écran reluzente de brios e alegrias.



Que os trabalhadores da última hora, os homens de boa vontade sejam guias presentes,



No ato de ajuda aos carentes tenham o prazer de servir, vencer sem orgulhos crescentes.





Execute belas ações e observem o desenrolar da vida em favor dos carentes.



Avance num belo sentido, Deus realiza maravilhas, seja diamante, brilhe,



Que nesta data especial de Natal, prevaleça o amor fraternal reluzindo em nossas mentes.



Que a violência, a fome, a miséria, a exploração, esmaeçam e a felicidade se eternize.





Que o menino Jesus na manjedoura num refluxo de luz e energias benfazejas mostre o caminho.



Da paz mundial, da paz social, onde os mais poderosos repartam o pão divino numa ação celestial,



Que os meninos de rua encontrem seus lares, que os corruptos retribuam o surrupiado,



Que o Natal seja o destino final do mal e o resplandecer do bem, seja uma onomatopeia de luz, que o novo ano seja mais humano e angelical.





ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI/FORTALEZA-CEARÁ

FESTA DE NATAL

FESTA DE NATAL


No calvário, martírio e sofrimento, na vida dores e lamento. Na canga jugo e opressão. Na árdua luta do dia a dia equivocadas alegrias. Convivemos com indolências e autoridades iníquas. Como iremos partilhar mesas fartas, enquanto existir no mundo crianças famintas. Como vamos partilhar o peru se crianças morrem de fome e ficam as espreitas dos urubus. O tribunal dos antigos condenam os novos e os novos tribunais condenam os mais antigos. A ociosidade do brasileiro se transforma em fome e miséria e esses vieses, em violência. Como comemorar um natal com esperança e um ano melhor, se os políticos desonestos, através da justiça injusta conseguem manobrar o errado e transformá-lo em correto.

Que pegureiro consegue criar suas ovelhas em paz e seja um pastor de ovelhas lucilentes. Ovelhas amestradas que só tragam felicidades a gente. A improdutividade, a preguiça mental e as corrupções são chagas dolorosas que impulsionam atos e fatos deletérios ao ser humano. Não sejamos estéreis e sim produtivos. Devemos antever prever ou prognosticar atos feéricos que engrandeçam nossos corações. Se o menino Jesus veio ao orbe terrestre na mais pura pobreza, porque as religiões primam em arrecadar bilhões em vil metal. Isso é absurdo ou natural? Devemos praticar o bem e exterminar o mal de nossas vidas.

Na festa de natal o mundo se colore, mas a vida dos mais fracos, oprimidos e estropiados se opaca. É uma desgraça que ninguém consegue resolver. É o homem explorando o mundo fazendo tudo ao contrário de como Jesus nos ensinou. A charrua do mal caminha e destrói as esperanças das crianças brasilianas. O que fazer? Não sabemos, mas os homens de boa vontade saberão. Devemos neste natal conhecer o íntimo do nosso personalismo. Reiteradas vezes usamos a proposição hercúlea de ver a alegria estampada no rosto das crianças abandonadas.

Pensamos em Papai Noel, mas ele já não é papai virou padrasto, visto que algumas crianças ganham presentes e a maioria fica só na esperança. Vamos nos espelhar, nos retratar e tomar como modelo qual herói brasileiro? Já que estamos carentes de líderes vamos reavaliar, reapreciar e reanalisar os atos insanos de nossas vidas. O desculpismo exagerado nos adoece e nos faz sofrer. Natal não é data de tristeza e sim de alegrias. Já que o natal de Jesus te emociona, elevando-te o psiquismo aos ideais reformistas de si mesmo no transpores, com o coração cheio de renovadas esperanças, o pórtico feérico do Ano Novo, aproveita o ensejo para reflexionar se cumpriste, no quando e no tanto que te foi possível, o programa redentor que elaboraste para esta etapa vivencial.

Como se desenvolve sua etapa vivencial? Tens praticado o bem sem olhar a quem? Esperamos que sim. Como dizia o irmão Reynaldo o bem eleva o homem, o mal deteriora o espírito. Vamos meditar neste natal e amealhar todas as energias positivas e doá-las as pessoas carentes. Jesus querido irmão, que o homem passe a respeitar seu semelhante, que ame mais a vida e mantenha o amor no coração. Enquanto a criança na sua intensa energia propícia à felicidade nós rejeitamos e agimos pelo instinto e pelo mal.

Querido Jesus protege-nos, coloca-nos no palmilhar do bem e que possamos ver o semelhante como irmão. Devemos fazer uma criança sorrir nessa magna data. Faça sempre como nos ensinou o Salvador: “Deixai vir a mim as criancinhas, pois elas herdarão o Reino dos Céus”. Infelizmente nossas crianças estão expostas as pragas da rua e se não tomarmos providências urgentes elas serão nossos algozes no futuro. “Conserva a simplicidade, observa onde te põe, a ambição domina os homens em todas as direções”. Que tenhamos um natal feliz, de paz, de prosperidade, de amor, onde o vetor principal seja o próximo, nossos queridos irmãos. Que Deus seja louvado!



ANTONIO PAIVA RODRIGUES- MEMBRO DA ACI- DA ALOMERCE- DA UBT- DA AOUVIRCE E DA AVSPE

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

JOGO DO COMPASSO

JOGO DO COMPASSO

É preciso que coloquemos ao conhecimento da população e de algumas religiões cristãs, o que seja mediunidade. A mediunidade é uma delicada flor que, para desabrochar, necessita de acuradas precauções e assíduos cuidados. Exige o método, a paciência, as altas aspirações, os sentimentos nobres, e, sobretudo, a tema solicitude do bom Espírito que a envolve em seu amor, em seus fluidos vivificantes. A mediunidade é um dos meios de ação por que se executa o plano divino. O jogo é uma paixão funesta que pode arrastar o homem ao suicídio e fazer que ele se converta num dos seres mais egoístas da Terra.

Aqui não se exclui os jogos de “cunho espiritual”, praticado por jovens neófitos em espiritualidade, e sem nenhuma preparação e ausente de cuidados. A Lei de Ação e Reação e de Causa e Efeito pode ser o resultado de uma brincadeira sem gosto. Determinada emissora de televisão da capital cearense focou o assunto, porém mais uma vez a televisão peca por irresponsabilidade, pois os convidados não possuem a qualificação necessária para falar sobre o assunto.

Falou o apresentador que as religiões, católica e protestante afirmam coisas do demônio. É preciso ressaltar que a palavra demônio tem origem na língua grega, e sua sinonímia quer dizer anjo, podendo esse anjo ser do bem ou do mal. Allan Kardec quando codificou a Doutrina Espírita e ao criar o primeiro Centro Espírita do mundo, afirmava que todas as sessões mediúnicas deveriam ter a participação de médiuns, e ser realizada de maneira privada.

Muitos teimam em fazer mediunidades shows. Essa atitude pode trazer riscos sérios para os assistentes e curiosos, bem como os que praticam esse jogo do compasso, pois entidades negativas podem obsediar todos os participantes do jogo em epígrafe e causar transtornos graves e com consequências irreversíveis.

O nome mediunidade foi criado na França em 1857, por Kardec, mas ela sempre existiu com o nome de profetização. Moisés em sua época proibiu a profetização, pois o dom divino estava sendo usado para proveito próprio. Quando alguém fosse discutir assuntos de tal magnitude deveria estudar primeiro para não comentar deslizes e confundir a cabeça dos telespectadores.

Tem muita gente sem o conhecimento devido que preferem a todo custo angarear audiência em cima de assuntos sérios que deveriam ter o respeito devido. O médium sério ou médiuns sérios são os que unicamente para o bem se servem de suas faculdades e para fins verdadeiros úteis. Médium sensitivo ou impressionável são pessoas susceptíveis de sentir a presença dos Espíritos por uma expressão vaga, por uma espécie de leve roçadura sobre todos os seus membros, sensação que eles não podem explicar.

Esta variedade não apresenta caráter bem definido. Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que emprega para domar inclinações más. Espiritismo é a ciência nova que vem revelar aos homens, por meio de provas irrecusáveis, a existência e a natureza do mundo espiritual e as suas relações com o mundo corpóreo. O Espiritismo é Jesus que volta ao convívio da dor humana. É um tempo para o coração, uma escola para o cérebro e uma oficina para os braços.

Espiritismo e Evangelho é a sustentação da nova era de concórdia e fraternidade que todos esperamos, após a grande transição que estamos vivendo. O Espiritismo prático natural são fenômenos produzidos às vezes, espontaneamente, sem intervenção da vontade, até mesmo contra toda vontade, pois que frequentemente se tornam importunos. Toda espírita é espiritualista, mas nem todo espiritualista é espírita.

Brincar com o espiritualismo jamais, pois os Espíritos são princípios inteligentes que povoam o universo. Passaremos agora a algumas nominações de Espíritos.Espírito atrasado, batedor ou perturbador, benévolo, imperfeito, de sabedoria, impuro, inferior, leviano, neutro, pseudossábio, puro, sábio, superior, alcoólatras e toxicômanos, amedrontados, arquitetos, dementados, desafiantes, descrentes, galhofeiros, zombeteiros, irônicos, ligados a trabalhos de Magia e Terreiro, mistificadores, obsessores inimigos do Espiritismo, ordenadores.

E tem muito mais como: os que auxiliam os obsessores, os que desconhecem a própria situação, os que desejam tomar o tempo da reunião, os que não conseguem falar, sofredores, suicidas, vingativos, assombrador, Espírito da Verdade, Espírito de Deus, desencarnado, do mal, do mundo, elevado, encarnado, errante, familiar, maligno, material, maternal, mau, menos esclarecido, nervoso, perturbado, perturbador, protetor, os que provêm de Deus, Espírito Santo, Simpático, sublimado, turbulento, vejam com a coisa é séria e jamais devemos brincar como faziam os jovens que participavam do jogo do compasso.

Seriedade sempre. Esse é o dever de todo cristão. Estamos fazendo esse comentário para mostrar que não se deve brincar de forma alguma com a espiritualidade, pois além de ser, abominável, os que praticam estão sujeitos ao assédio desses espíritos de classificação mais baixa. Infelizmente uma grande parcela da população não se deu conta da importância da espiritualidade amiga em nossas vidas. O próprio Jesus conforme está escrito em Matheus 18, a transfiguração de Jesus no Monte Tabor, onde Jesus conversa com os Espíritos materializados de Elias e Moisés.

Queríamos aqui fazer uma conotação que tem teor de discriminação por parte da Bíblia Ave-Maria, quando em Deuteronômio 18:9,10,11 - Adivinhação e profetismo se pronunciam da seguinte forma. “Quando tiveres entrado na terra que o Senhor, teu Deus te dá não te porás a imitar as práticas abomináveis da gente daquela terra”.

10 – Não se ache no meio de ti quem faça passar pelo fogo seu filho, ou sua filha, nem quem se dê à adivinhação à astrologia, aos agouros, ao feiticismo. 11- Á magia, ao espiritismo, à adivinhação ou à invocação dos mortos. Vejam só a intenção dos que traduziram essa Bíblia, visto que, o nome Espiritismo surgiu na França em 1857. Em números 11; 24, vemos: Moisés saiu e referiu o povo as palavras do Senhor. Reuniu setenta homens dos anciãos do povo e os colocou em volta da tenda. 25- O Senhor desceu na nuvem e falou a Moisés; tomou uma parte do espírito que o animava e a pôs sobre os setenta anciãos.

Apenas repousara o espírito sobre eles, começaram a profetizar; mas não continuaram. Dois homens tinham ficado no acampamento: um chamava-se Eldad e o outro Medad, e o espírito repousou também sobre eles, pois tinham sido alistados, mas não tinham ido à tenda; e profetizaram no acampamento; 27- Um jovem correu a dar noticias a Moisés: “Eldad e Medad”, disse ele, profetizam no acampamento, 28- Então Josué, filho de Nun, servo de Moisés desde a sua juventude, tomou a palavra. “Moisés- disse ele: meu Senhor impede-os.” 29- Moisés, porém respondeu: “Por que és tão zeloso por mim? Prouvera a Deus que todo o povo do Senhor profetizasse, e que o Senhor lhe desse o seu espírito!”30-E Moisés retirou-se do acampamento com os anciãos de Israel.

Aqui vemos que se o Senhor tivesse atravessado as nuvens para falar com Moisés, o mesmo teria se materializado, pois entrou no plano da matéria absorvendo ectoplasma. O Senhor do Mestre Jesus não procedia dessa maneira, pois o mesmo Jesus falava que ninguém poderia ver como era o Deus Pai todo poderoso. Pensem bem senhores, antes de criticarem a crença alheia. Existem muitas incongruências quando se condenam determinadas ações humanas.

A palavra profetização vem do grego prophetízein, e do latim prophetizare que tem como sinonímia predizer como profeta; vaticinar, predizer; anunciar por conjeturas; anunciar antecipadamente; prever; anunciar como profeta; vaticinar, predizer; dizer ou fazer profecias, profetar, Presente do indicativo: profetizo, profetizas, profetiza etc. Cf. profetisa.

Vejam só senhores: Profeta vem do grego prophétes, e do latim propheta, indivíduo que prediz o futuro. Adivinho. (Feminino -: profetisa). Título que os muçulmanos dão a Maomé. É duro criticar sem respaldo e principalmente quando os críticos procedem da mesma maneira. O que os senhores dizem de Samuel quando se dirigiu a médium de En-dor? A Bíblia em 1 crônicas capítulo 10 declara: 13 - Assim morreu Saul por causa da transgressão que cometeu contra o SENHOR, por causa da palavra do SENHOR, a qual não havia guardado; e também porque buscou a adivinhadora para a consultar. 14 - E não buscou ao SENHOR, que por isso o matou, e transferiu o reino a Davi, filho de Jessé.

Pelo que vimos no texto acima existe nessa versão um Deus cruel que mata. A verdade é que Saul tenha buscado uma adivinhadora ou uma cartomante, notemos que embora algumas traduções diversifiquem, mas o sentido é quase o mesmo, pelo visto não houve realmente uma incorporação do espírito de Samuel, porque pelo que sabemos vagamente sobre Espiritismo, cartomante ou adivinhadora não realiza necessariamente este tipo de prática, mas se utiliza de outros meios extrassensoriais como: clarividência, psicografia, leitura das mãos e etc... Levando em consideração que realmente esta hipótese seja correta como podemos comprovar em: 1 Samuel 28 v.13 e v.14: Pensem nisso!



ANTONIO PAIVA RODRIGUES- MEMBRO DA ACI- DA ALOMERCE- DA UBT- DA AVSPE E DA AOUVIR/CE

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

FAUSTÃO E O ESCRITO NAS ESTRELAS



A Rede Globo de Televisão tem se destacado positivamente quando da inserção na sua programação aspectos de relevância sobre a espiritualidade humana. Inclusive, algumas religiões cristãs tem se manifestado contra a Doutrina espírita, alcunhando-a de “A Doutrina do Engano e da Mentira” como afirmou o pastor protestante RR Soares, em livro publicado por ele. A nossa intervenção nessa matéria tem conotação explicativa sobre alguns aspectos que foram debatidos no domingo, dia 12 de setembro do corrente ano. Estiveram presentes ao bate papo atores integrantes do elenco novelístico e um teólogo que faz parte da emissora supracitada. Natalia Dill, que faz o personagem Viviane, Jaime Matarazzo, o Daniel e o ator Humberto Martins que interpreta Ricardo, o pai de Daniel.

Sobre o assunto do debate, o apresentador Faustão fez diversas indagações sobre os personagens, bem como se os mesmos acreditavam em vida, após a morte e reencarnação. Como o ser humano é dotado de livre-arbítrio, eles dentro de suas óticas responderam as indagações do apresentador. Não nos cabe julgar aqui a crença alheia e nem nos atrevemos em perquirir a vida de quem quer que seja para interpretar seus pensamentos. Aliás, a crença na existência de Deus é própria do ser humano. Achamos até um diálogo bastante interessante e proveitoso, visto que mesmo interpretando algo bem complexo, os atores respondiam no seu modo de ver e crer as indagações do apresentador. O ator Humberto Martins nos pareceu o mais seguro de todos em suas respostas, ao mesmo tempo em que se situava dentro do assunto debatido com vivências acontecidas com ele no decorrer de sua existência terrena.

Os outros mesmo sem reprocharem estavam que meios claudicantes em suas respostas. Aliás, debater ou discutir espiritualidade não é tarefa fácil, mesmo estando-se num “teatro de operações” onde ela é vivenciada e repassada ao público telespectador. Quando a mídia procura inovar adotando medidas diferenciadas, não existe tão somente aquela percepção de audiência pura e sim dar fidelidade aos apreciadores ou crentes na vida após a morte. Costumamos afirmar em nossos comentários de que o maior enigma da vida é a morte, bem como, o maior enigma da morte é a vida. Elas caminham juntas desde o nascimento de qualquer ser, seja do mundo hominal ou animal. Terminada a seção de indagações, Faustão pede a presença de um teólogo para explicar o que seria Psicografia, Espírito e Vida após a Morte e outros assuntos ligados à espiritualidade.

Foi nesse momento que a Rede Globo acabou transformando um assunto de interesse geral em simples sonrisal. O teólogo em alusão rodou, rodopiou e não acrescentou nada em suas “explicações”. Foi de encontro à física quando deixou transparecer o impossível, de que dois corpos estavam ocupando o mesmo lugar no espaço. Falou que acreditava existir um corpo além do seu, mas não soube explicar com detalhes. Quando se reportou a reencarnação transformou o giro em jirau. Devemos ter ciência de que a Reencarnação é uma das crenças mais antigas que existe, até mesmo sobre o cristianismo que surgiria muito tempo depois. A maioria dos países do Oriente são reencarnacionistas. O teólogo em alusão demonstrou até ser desconhecedor da própria Bíblia.

Quando falava sobre o que pensavam os gregos sobre a reencarnação do Espírito num animal irracional não citou o porquê. (Metempsicose). A própria ciência já desvendou esse mito, pois o Espírito evolui e não retrograda. Um espírito entrando num corpo humano para realizar uma psicografia é coisa de neófito, pois os espíritos se comunicam através do pensamento. Além das psicografias, existem as psicofonias e as pneumotografias. Não falou uma só vez em perispirito que o cientista e filosofo russo Alexander Aksakof chamou de corpo bioplasmático. Alexandre Aksakof nasceu na Rússia, no seio de nobre família, cujos membros ocuparam sempre lugar de destaque na literatura e nas ciências.
Começou seus estudos no Liceu Imperial de São Petersburgo - instituição da antiga lieza da Rússia - e uma vez concluídos dedicou-se ao estudo da Filosofia e da Religião, tendo para isso que aprender o hebraico e o latim, visando um melhor entendimento da obra grandiosa de Emanuel Swedenborg. Em 1854, caindo em suas mãos à obra de Andrew Davis: "Revelações da Natureza Divina", Aksakof abriu novos horizontes às suas aspirações e tendências intelectuais, reconhecendo um mundo espiritual de cuja realidade não mais duvidava. Para fazer um completo estudo fisiológico e psicológico do homem, matriculou-se em 1855 como estudante da Faculdade de Medicina de Moscou, onde ampliaria os seus conhecimentos de Física, Química e Matemática, ao mesmo tempo em que acompanhava, passo a passo, o desenvolvimento espírita na Europa e na América.

Para isso ele revolvia livrarias e pedia de qualquer lugar as obras que não se encontravam nas livrarias de sua terra. A partir de 1855 ele inicia a tradução para o russo de todas as obras de: Allan Kardec, Hare, Edmonds, Williams Crookes, Relatório da Sociedade Dialética de Londres e a fundação de periódicos como o "Psychische Studien", de Lípsia, uma das melhores revistas sobre Espiritismo. Existem inúmeros cientistas que confirmaram a existência de vida após a morte e mesmo a comunicação através da Transcomunicação entre a vida material e espiritual. Yan Stevenson um cientista americano que dedicou mais de 30 anos de sua vida ao estudo da reencarnação comprovou mais de 2000 casos do fenômeno.

A obra de Aksakof não se restringiu apenas à escrita. Criou adeptos entre pessoas de talento reconhecido, muitos deles cientistas, que, através de experiências feitas com médiuns famosos como Dunglas Home, levou a Rússia a formar a primeira comissão de caráter puramente científico para o estudo dos fenômenos espíritas. Para essa comissão, Aksakof mandou vir da França e da Inglaterra os médiuns que participariam das experiências. Como resultado, por haver fugido das condições pré-estabelecidas, tal comissão chegou a conclusões errôneas sobre o Espiritismo, saindo como relatório conclusivo o livro "Dados para estabelecer um juízo sobre o Espiritismo", onde afirmava a falsidade dos fenômenos observados. Aksakof contestou a comissão com outro livro intitulado: "Um momento de preocupação científica".


A seguir, o valente russo voltou as suas baterias verbais contra o célebre "filósofo do inconsciente" Von Hartmann, publicando uma obra volumosa, a mais completa que se conhece sobre o assunto versado "Animismo e Espiritismo", que mais o fortaleceria como eminente cientista e pesquisador nato. Homem de brilhante posição social, ele consagrou-se durante 25 anos ao serviço do Estado, alcançando vários títulos, tais como: conselheiro secreto do Czar, conselheiro da corte, conselheiro efetivo do Estado, e outros que não são mais que um prêmio aos bons serviços prestados por ele à sua pátria. Verdadeiro sábio, raras vezes se acha reunidas tanta inteligência, tanta erudição a um critério imparcial.

Jamais se deixou arrastar pelos entusiasmos das suas convicções; nunca perdeu a serenidade em seus juízos, e, no meio da sua fé, tão ardente e sincera, não esqueceu o raciocínio frio que lhe fez compreender quais podem ser as causas dos fenômenos que observava, o que o colocou acima dessa infinidade de fanáticos que não estudando, não experimentando, e aceitam como bom tudo quanto se lhes querem fazer crer. (FEP) Polemista temível e escritor delicado, os trabalhos de Aksakof levam a convicção ao espírito; e tal sinceridade se vê em suas obras que, lendo-as, sente-se a necessidade de crer nelas. Alie-se a isto um caráter bondoso e uma vontade de ferro, que não se demove frente aos obstáculos, assim como a uma paixão imensa pelo ideal que o leva a percorrer a Europa para fazer experiências, e ter-se-á uma ideia superficial a respeito do investigador incansável, dotado de uma alma varonil e de um talento primoroso.

Nunca permaneceu ocioso; seus artigos abundavam nos periódicos espíritas, e não há pessoa medianamente ilustrada que não conheça alguma das suas célebres experiências com os médiuns Home, Slade, d'Esperance, ou algum de seus estudos acerca de fantasmas e formas materializadas. Assim foi Aksakof, o maior de todos os soldados da grande Rússia, um soldado que combatia ideias, ideal com ideal, desonra com honra, preconceitos com dignidade. Crookes, aqui citado conseguiu medir as pulsações de um espírito materializado de nome “Kate King” e inúmeros casos que foram estudados ao longo da história. Os fenômenos surgidos no EUA, e a confirmação no berço da civilização humana (França), em 1857 com Allan Kardec.


Desconhecer a vida após a morte é desconhecer até a vida do Mestre Jesus quando em vida na companhia de Pedro, João e Thiago, conversou com os espíritos de Elias e Moisés no Monte Tabor na transfiguração. Leiam Matheus e tirem suas conclusões. (De acordo com o relato contido no Evangelho segundo Mateus, capítulo 17, verso 2, consta que o rosto de Jesus resplandecia como o Sol, e a suas vestes tornaram-se brancas como a luz). Não pode se admitir que uma Rede como a Globo deixe que um teólogo neófito que nem mesmo é conhecedor da Bíblia venha estragar um trabalho tão dignificante para a humanidade. Jesus não criou nenhuma religião e seus seguidores foram chamados de seguidores do caminho, após a conversão de Paulo é que surgiram os cristãos.

Não fez a distinção entre mediunidade e profetização. Poderia ter citado o caso de Eldad e Meldad ao irem ao encontro de Moisés. De que a primeira psicografia que se tem conhecimento no mundo é os Dez Mandamentos. As respostas devem ser repensadas e como sugestão faça um convite a um teólogo espírita que tudo será sanado. Pensem nisso!
ANTONIO PAIVA RODRIGUES- MEMBRO DA ACI- DA ALOMERCE- DA UBT- DA AVSPE- DA AOUVIRCE

terça-feira, 24 de agosto de 2010

EXISTE ESPÍRITO SANTO?

EXISTE ESPÍRITO SANTO?

O que entendemos e o que se entende por Espírito? Segundo os teólogos e as grandes religiões, espírito é pela sua essência espiritual, um ser indefinido, abstrato, que não pode ter ação direta sobre a matéria, sendo-lhe indispensável um intermediário que é o envoltório fluídico, o qual, de certo modo; faz parte integrante dele. O que caracteriza essencialmente o espírito é a consciência, isto é, o eu, mediante o qual ele se distingue do que não está nele, isto é, da matéria. Há no homem um princípio inteligente a que se chama Alma ou Espírito, independente da matéria, e que lhe dá o senso moral e a faculdade de pensar. “Algumas religiões dizem que o Espírito Santo é a terceira Pessoa da Trindade é nas Sagradas Escrituras, denominado “o Espírito”, o Santo Espírito, “o Espírito de Deus”, “o Espírito do Filho de Deus”, e o “Consolador”.”.

Hão dito que o Espírito é uma chama, uma centelha. Isto se deve entender com relação ao Espírito propriamente dito, como princípio intelectual e moral, a que se não poderia atribuir forma determinada. Como ilustração, queremos dizer quem no ano de 325, depois de Cristo, no Concílio de Niceia (hoje uma cidade da Turquia) 318 bispos reuniram-se para debater as mais diversificadas questões concernentes à igreja, tais como o dogma da trindade, o Credo dos Apóstolos e a expulsão do primeiro herege de peso, Ário de Alexandria. (Jeovah Mendes). Somos diamantes brutos, revestidos pelo duro cascalho de nossas milenárias imperfeições, localizados pela magnanimidade do Senhor na ourivesaria da Terra. Existe uma diversificidade na qualificação dos espíritos, tais como: “Atrasado, batedor e perturbador, benévolo, de sabedoria, imperfeitos, impuro, inferior, leviano, neutro, pseudossábio, puro, espírito sábio, superior”.

Existe classificação segundo o modo como se apresentam nas reuniões de desobsessão. Espíritos Alcoólatras e Toxicômanos, amedrontados, arquitetos, dementados, desafiantes, descrentes, galhofeiros, zombeteiros, irônicos, espíritos ligados a trabalhos de Magia e Terreiros, mistificadores, obsessores inimigos do Espírito (colocamos aqui o pastor protestante R.R. Soares), espíritos ordenadores, (os que auxiliam os Obsessores o pastor protestante R. R Soares), os que desconhecem a própria situação, os que desejam tomar o tempo da Reunião; os que não conseguem falar; sofredores.

A escala quanto à morte violenta: “Suicidas vingativos”. Existem os “Espíritos assombradores, da verdade, Espírito de Deus, Desencarnados, do mal, elevado, encarnado, errante”. Os que estão na erraticidade: “Espírito familiar, maligno, espírito material, maternal; espírito mau”. Menos esclarecido, nervoso, perturbado, perturbador, protetor, reencarnante; Espírito santo; simpático, sublimado, turbulento entre outros. O Espírito Santo - é uma legião dos bons Espíritos. Nos tempos hebraicos, a locução Espírito santo era uma expressão familiar aos hebreus, significando tanto a manifestação pessoal de deus por um ato qualquer, como a inspiração divina, o próprio sopro de Deus. Os ensinos do dogma da Trindade têm suas origens nas declarações do famoso apologista cristão, Tertuliano de Cartago (160-220 D.C.), que afirmou em 196 D.C., a existência de três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo, numa só pessoa.

Quer dizer, as Santas Escrituras não mencionam a palavra Trindade, embora saibamos que as evidências existam. Veja (Gen 1:26; 11:7). A Trindade, segundo a concepção de um discípulo de São Tertuliano de Cartago (120-220d. C.). Como se vê nas enunciações existe muito da mão humana nas “intervenções divinas” de algumas religiões. Muitas coisas em que se acredita piamente ser de Deus não passam de intervenções humanas. Em todos os casos em que vemos na Bíblia a aludida expressão Espírito Santo é apenas com a significação, ou de Espírito de Deus (que é santo) ou de um Bom Espírito, protetor, que se santificou. “No Novo Testamento - O Espírito Santo se manifesta no batismo de Jesus (Mt 3.16; Mc 1.10), e na tentação (Mt 4.1; Mc 1.12; Lc 4.1); imediatamente depois da tentação (Lc 4.14); e na ocasião em que Jesus, falando em Nazaré, recorda a promessa messiânica de Is 61.1,2 (cp. com 42.1-4). Do mesmo modo fala o Santo Espírito ao velho Simeão dirigindo-o nos seus passos e pensamentos (Lc 2.25-27). O dom do Espírito Santo é de uma maneira determinada, prometido pelo nosso Salvador (Lc 11.13). Esses ensinamentos da Igreja Católica e Protestante.

“O Espírito Santo, igualmente, não é Deus”. Essa expressão figurada designa a falange sagrada dos Espíritos do Senhor, composta dos puros Espíritos, que recebem, mediata ou imediatamente, a inspiração divina; que são guardadas a ordem da hierarquia e da elevação espíritas, os servidores, os ministros, ou os agentes de deus, da sua providência, no cumprimento da sua vontade e na execução de suas obras, na realização do progresso universal, dentro da vida e da harmonia universais, especialmente com relação a nós e ao nosso planeta. É por eles, pelo Espírito santo, pois, que até aos homens desce a inspiração divina e se faz sentir a ação da Divina Providência, desempenhando cada um a missão que lhe foi confiada. “Nos Atos - A manifestação do Espírito é feita no dia de Pentecoste, e o fato acha-se identificado com o que foi anunciado pelo profeta (2, 4, 17,18); Ananias e Safira "tentam" o Espírito, pondo à prova a Sua presença na igreja (5.9); o Espírito expressamente dirige a ação dos apóstolos e evangelistas (1.2; 8.29,39; 10.19; 11.12; 16.7; 21.4); e inspira Ágabo (11.28).”.

Nas epistolas de Paulo - A presença do Espírito Santo está claramente determinada (Rm 8.11; 1Co 3.16; 6.17-19). É ele o autor da fé (1 Co 12.3; cp. com 2Co 4.13); no Espírito vivem os homens (Gl 5.25), por Ele são ajudados nas suas fraquezas (Rm 8.26,27), fortalecidos por Ele (Ef 3.16), recebendo Dele dons espirituais (1Co 12), e produzindo frutos como resultados da Sua presença (Gl 5.22). Por meio Dele há a ressurreição dos que creem em Cristo (Rm 8.11). Paulo foi um dos mais conscientes servos do Mestre Jesus Cristo, tanto é que na sua conversão ao cristianismo os seguidores de Jesus que se chamavam “seguidores do caminho”, passaram a se chamar cristãos. Estamos fazendo contrapontos no conceito de algumas religiões. O Espírito da Verdade é a plêiade de Espíritos que, baixando em toda a Terra diz: “Os tempos são chegados”, esclarecendo-nos sobre coisas que se achavam ocultas sob o véu da letra, nos mesmos evangelhos. O Espírito da Verdade, que procede do pai, é a luz, a ciência, a verdade que os espíritos, assim errantes como encarnados, trazem aos homens, aqueles por meio da inspiração ou da ação mediúnicas, ou por outros meios da palavra. (O Espiritismo de A a Z da FEB). Segundo o dicionário bíblico universal anotamos que: “Pedro
(1Pe 1.2) escreve acerca da santificação, como sendo obra do Espírito Santo. No apocalipse se vê que João conscientemente é influenciado pelo Espírito (1.10; 4.2); e a mensagem dirigida a sete igrejas é a mensagem do Espírito (2.7,11 17,29).

O Espírito Santo é uma pessoa da Santíssima Trindade, e não simplesmente um método de ação divina (vejam-se especialmente as palavras de Jesus: Jo 14.16,17; 15.26; 16.7,8; Mt 12.31,32; At 5.3,9; 7.51; Rm 8.14; 1Co 2.10; Hb 3.7). O Espírito procede do Pai e do Filho (Gl 4.6; 1Pe 1.11). É Ele tanto "o Espírito de Deus" como "o Espírito de Cristo" (Rm 8.9). E assim nos mistérios da redenção, e de uma nova vida, na regeneração, na santificação, e na união com Cristo, é uma Pessoa que, na Sua operação, como auxiliador do homem, é ainda Aquele que pode ser negado, entristecido e apagado (Ef 4.30; 1Ts 5.19). Na realidade o Espírito Santo é mais um simbolismo dogmático da igreja, pois o classificam como sendo uma entidade, mas na realidade é uma plêiade de espíritos Superiores, bem como o Espírito da Verdade não é Jesus Cristo como muitos afirmam.

Queremos também dizer que não somos dona da verdade e que ela só a Deus pertence, mas infelizmente o Pai Amantíssimo não interfere na vida de ninguém. Ele pode tudo, mas jamais derrogaria sua própria Lei. Tanto é que consentiu que seu filho o Mestre Jesus sofresse as agruras e o sofrimento no madeiro da cruz, como estava escrito. Parece explícito em nossa memória quando Jesus na agonia dizia: ”Pai porque me abandonaste? Ele tinha poder para livrar Jesus daquele sofrimento, mas pelo predito acima ele não interferiu na inveja, no orgulho dos homens e foi através do medo da perda do poder dos poderosos da época que Jesus pagou com apena de morte Porter pregado o amor e o perdão. Pensem nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES- MEMBRO DA ACI- DA ALOMERCE- DAUBT- DA AOUVIRCE E DA AVSP

terça-feira, 17 de agosto de 2010

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

A MISSÃO DE ABRAÃO

A MISSÃO DE ABRAÃO


Teria sido Abraão um profeta com o dom de conversar com Deus? Pelo que sabemos ninguém tem esse poder. Palavras ditas por Jesus Cristo quando esteve no orbe terrestre. A Lei de Deus está escrita em todas as consciências. A pessoa que hoje se mostra fracassada nessa ou naquela situação, pode mesmo assim, possuir valores que talvez ainda não tenha conquistado. O nascimento de Abraão teria acontecido no ano 2.166 a. C., como um ser imperfeito igual a todos nós. Nasceu simples e “ignorante”, com a mesma composição corpórea e sem sinais de divindade. “Numas das pretensas conversas entre Deus (Iahweh) e Abraão, ele teria dito:” Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai para a terra que te mostrarei. Eu farei de ti um grande povo, eu te abençoarei, engrandecerei teu nome; sê uma bênção! Uma promessa sem proporções para um ser humano, e vai mais além: “Abençoarei os que te abençoarem, amaldiçoarei os que te amaldiçoarem. “Por ti serão benditos todos os clãs da terra”.


Tais afirmações merecem meditações. Teria Abraão mais poderes do que o próprio filho do Pai Amantíssimo? Diz a história religiosa que Deus teria arquitetado a Terra e depois colocado nas mãos do Cristo à responsabilidade em construí-la. Partindo dessa premissa surgia o clichê popular de que: “Deus é o grande arquiteto do Universo”. Ele foi o arquiteto e Cristo o engenheiro. Abrão como era conhecido antes, atendendo aos apelos de Iahweh, em companhia de Ló partiram para cumprir as determinações de “Deus”. Com 75 anos na época deixou Harã. Tomando sua mulher Sarai seu sobrinho Ló, todos os bens que tinham reunido e o pessoal que tinham adquirido em Harã; partindo para a terra de Canaã e aí chegaram. Na verdade Abraão não sabia ao certo para onde ia. Chegou a um lugar santo de nome Siquém, no Carvalho de Moré. Por esses tempos os cananeus já habitavam aquela terra, foi então que Iahweh apareceu a Abraão dizendo: “E à tua posteridade que eu darei esta terra.” Abrão construiu aí um altar a Iahweh, que lhe surgira.


Vejam a facilidade que Abrão tinha uma facilidade incomum para contatar com Iahweh. Ló se separa de Abrão. Em Gênesis 11,27 lemos: Eis a descendência de Taré: Taré gerou Abrão, Nacor e Arã. Arã gerou Ló. Portanto, Taré é pai de Abraão e Ló é sobrinho de Abraão, filho do seu irmão. Sobre Sara, em Gênesis 11,29 sabemos que Abraão se casa com Sara (Sarai), mas nada é dito sobre os seus pais. As promessas e a aliança divinas foram anunciadas depois dos acontecimentos acima mencionados. “Não temas Abrão”! “Eu sou o teu escudo, tua recompensa será muito grande”. Diante do exposto Abraão teria respondido: ”Meu Senhor Iahweh, que me darás? Continuo sem filho”. “ Disse Abraão;” Não me desta descendência e um dos servos de minha casa será meu herdeiro”. Então foi-lhe dirigida esta palavra de Iahweh; “ Não será esse o teu herdeiro, mas alguém saído de teu sangue .” Ele o conduziu para fora e disse: “Ergue os olhos para o céu e conta as estrelas, se as pode contar”, e acrescentou:”Assim será a tua prosperidade.” Crendo em Iahweh, lhe foi dito em conta de justiça.


Ele creu que a criança prometida viria de seu próprio corpo, mas não afirmara que Sarai seria a mãe. Agar, a egípcia não estava com eles (Gn. 12:4-5). E Abrão passou a habitar em Canaã, entre Betel e Ai (Gn. 12:5-9). Havia naquela terra uma grande fome, e desceu Abrão ao Egito. Como Sarai fosse mulher formosa, Abrão, com medo de ser morto, combinou com Sarai para ela dizer que era irmã de Abrão. Realmente, os servos de Faraó gabaram-na diante dele; e foi Sarai tomada para a casa de Faraó. E Faraó amou Sarai, e fez bem a Abrão por amor dela. E teve Abraão, pelos favores de Faraó, ovelhas, e vacas, e jumentos, e servos e servas; e camelos (Gn. 12:10-16). Agar, a egípcia, foi presente de Faraó a Sarai, isto é, de acordo com a figura, o dragão, que é também Satanás, deu uma serva sua a Sarai. Jeová então feriu Faraó com grandes pragas, e a sua casa, por causa de Sarai. Faraó chamou Abrão, devolveu Sarai, e foram-se do Egito, mas Sarai levou Agar, serva do dragão, do grande dragão (Hebraico: Hatanim Gadol). Ficou decidido que Agar seria a mãe da criança prometida, no entanto, depois que Agar engravidou, ela e Sarai desentenderam-se, a serva foi mandada embora e pôs-se a vagar pelo deserto. Com as esperanças perdidas.


Deus lhe dirigiu Sua palavra. O Anjo de Iahweh lhe disse: “Volta para a tua senhora s sê-lhe submissa”. Como pode um Deus consentir um adultério, pois Abrão tinha descendente, mesmo sem ser seu filho. Como sabemos por laços familiares seus descendentes poderiam ser seus herdeiros. Depois do erro cometido o anjo fala a serva:” Eu multiplicarei grandemente a tua descendência, de tal modo que não se poderá contá-la”. “O anjo de Iahweh assim se pronunciou: Estás grávida e darás à luz um filho, e tu darás o nome de Ismael, pois Iahweh ouviu tua aflição. Ele será um potro de homem, sua mão contra todos; a mão de todos contra ele; ele se estabelecerá diante de todos os irmãos”.

Nessa época Abrão contava com 86 anos de idade. “O adultério permitido por “Deus”. Abrão tinha duas mulheres: Sarai - que era sua parenta, e Agar, a escrava egípcia, que foi presente de Faraó, o grande dragão. E Abrão teve dois filhos: O primogênito, filho da escrava, e o segundo, filho de Sarai, a livre (Gl. 4:22). O filho da escrava nasceu segundo a carne, isto é, de cópula carnal, mas o que era da livre nasceu por promessa (Gl. 4:23). Paulo, então, revela o mistério, em parte, dizendo: "O que se entende por alegoria? Porque estes são dois concertos. “Um do monte Sinai, gerando filhos para a servidão, que é Agar” (Gl. 4:24). Se Agar é o monte Sinai, é figura da lei, que foi dada no monte Sinai. O verso 25 diz: "Ora, esta Agar é Sinai, um monte da Arábia, que corresponde a Jerusalém que agora existe, pois é escrava com seus filhos." Quem deu Agar foi Faraó, o grande dragão, e quem deu a lei foi Jeová.


E Agar, a egípcia, é Sinai, o monte de Jeová. Se nós invertermos a figura, ficará assim: A lei seria figura de Agar, e Jeová, que deu a lei a Abraão, seria figura de Faraó, o grande dragão. Não é difícil concluir, que, Faraó está para Jeová, assim como Agar está para a lei. Deu para entender senhores leitores? Iahweh como prometera visitou a sara e fez por ela como prometera. Ela concebeu e deu a luz um filho de Abraão já velho, no tempo que deus tinha marcado. Ele filho teve o nome dado por Abraão e chamou-se Isaac. Daí veio à circuncisão com oito dias depois do nascimento de Isaac. Isaac, nasceu quando Abraão tinha 100 anos de idade. Pode Freud? Agar e Ismael são expulsos de Israel. Agar é Sinai, e quem fez o concerto do Sinai foi Jeová.

Assim Faraó é figura de Jeová. Ismael, filho de Agar é figura do povo hebreu, e, na realidade, Ismael é hebreu, pois é filho de Abrão. Isaque é figura da Igreja, segundo a revelação de Paulo na carta aos Romanos: "Não que a palavra de Deus haja faltado, porque nem todos os que são de Israel são israelitas; nem, por ser descendência de Abraão são todos filhos; mas: Em Isaque será chamada a tua descendência. Isto é: Não são os filhos da carne que são filhos de Deus, mas os filhos da promessa são contados como descendência" (Rm. 9:6-8). E Paulo prossegue dizendo: "Mas nós, irmãos, somos filhos da promessa como Isaque. Mas, como então, aquele que era gerado segundo a carne perseguia o que era segundo o Espírito, assim é também agora. Mas que diz a Escritura? Lança fora a escrava com o seu filho, porque de modo nenhum o filho da escrava herdará com o filho da livre" (Sarai) (Gl. 4:28-30). O que Paulo está revelando é que serão lançados fora a lei, e os gerados pela lei, isto é, Agar e Ismael.


É difícil a compreensão dessas passagens, apesar das enunciações de Paulo. Uma história muito confusa como as demais do Velho Testamento, da religião judaica. Quer dizer que os filhos oriundos da carne não são obras de Deus, mas somente os da descendência de Isaac? E se Isaac não tiver existido somos descendentes de quem? “Pegando um gancho nos ensinamentos de pastor Olavo S. Pereira, conotamos o seguinte:” Realmente, no tempo em que a Igreja se firmou e expandiu, Ciro marchou contra Jerusalém e destruiu tudo, inclusive o templo; e os judeus foram espalhados pelos quatro cantos do mundo. O judaísmo acabou por mil e novecentos anos, isto é, Agar a serva foi mandada embora com o seu filho (Gn. 21:1-21). Como Sara é figura de Jerusalém celestial, o filho de Agar vai herdar a Jerusalém terrena, e o filho de Sarai, a Jerusalém celestial.

São, portanto, duas heranças: uma terrena e outra celestial (Gl. 4:25-26). Toda essa trama com o aval de Deus que depois de permitir o adultério, ainda permite que a serva Agar seja entregue as feras humanas. É preciso frisar também que os sacerdotes judeus perseguiam os cristãos e insuflavam o povo a persegui-los também, e assim o filho da escrava perseguia o filho da livre até que foram expulsos. Abraão é figura do Cristo, já que Sara é figura da Igreja, e a Igreja é a esposa de Cristo. Faraó possuiu Sarai, e a amou, mas ela, sendo esposa de Abraão, teve de ser devolvida ao legítimo esposo. Do mesmo modo, hoje, Jeová possui a Igreja, mas terá de devolvê-la a Cristo, o legítimo esposo. Cristo vai levar a sua Igreja para o reino celestial de seu Pai, isto é, para a Jerusalém celestial, e os de Jeová vão herdar a Jerusalém terrena, porque optaram pelo concerto do Sinai, feito por Jeová. A casa de Jeová é Israel, e os israelitas têm sofrido nestes dois mil anos todo tipo de flagelos, haja vista o grande holocausto na última grande guerra, quando seis milhões de judeus foram torturados e mortos nos campos de extermínio de Hittler.


Em Num. 12:7, Jeová declara que a sua casa é Israel. Os cristãos de nossos dias, fanáticos pelo Velho Testamento que foi abolido por Cristo (II Co. 3:14), insistem em se fazer filhos de Agar, e assim se tornam escravos com Ismael, e não herdarão a Jerusalém celestial. Isto é o que sugere esta fenomenal alegoria de Paulo. Por outro lado, Jeová odiava o Egito e seu rei Faraó. O Egito era uma nação gentílica, e Agar a escrava egípcia não era da linhagem de Abraão. Ismael é, portanto, mestiço, e, por conseguinte nem Agar poderia ser figura do concerto de Sinai, e nem Ismael figura dos israelitas, mas Paulo fez esta aplicação nesta alegoria de Gl. 4:21-31. Ora, Abraão gerou a Isaque, Isaque gerou a Jacó, e Jacó gerou doze filhos que são as doze tribos de Israel, e esta é a linhagem de Sara, não de Agar.
E foi com Israel que Jeová fez o concerto de Sinai. Abraão fez sacrifício em nome de Deus oferecendo a vida do filho para agradá-lo. My God que pai é este? Preferimos parar por aqui, pois se continuarmos poderemos complicar mais ainda a compreensão dos leitores. Inserimos aqui o clichê popular de que religião e política não se discutem, mas também não podemos ir de encontro à fé de irmãos, mesmo assim temos o livre-arbítrio para nos pronunciarmos sobre qualquer assunto, sem macular a imagem de qualquer pessoa. Pense nisso!


ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI- DA ALOMERCE-DA AOUVIR/CE-DA UBT-DA AVESP

quarta-feira, 7 de julho de 2010

O QUE SÃO MANDAMENTOS

O QUE SÃO MANDAMENTOS

Segundo a maioria dos dicionários colocados a nossa disposição à palavra mandamento tem como sinonímia o ato ou efeito de mandar, mandado, mando, prescrição, preceito e regra. Pode ser também a ordem contida num mandado ou num preceito legal. Cada um dos preceitos do decálogo ou cada um dos preceitos da igreja. Quando Jesus começou a evangelização tornou público uma frase muito inteligente. Tendo ele uma visão mais ampla pela sua condição do Espírito Puro chegou à conclusão que os dez mandamentos poderiam ser reduzidos a dois. “Amar a Deus dobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo”. Nesses dois belos mandamentos estão inseridos os dez. Por exemplo: Quem ama o próximo não mata. Fazer aos outros os que queríamos que os outros nos fizessem é um dos maiores mandamentos. Os Saduceus formavam uma seita judia por volta do ano 248 a. C., cuja sinonímia vinha de Sadoc, seu fundador. Os Saduceus tinham suas crenças e descrenças. Não criam na imortalidade da alma, nem na ressurreição, nem nos bons e maus anjos. Criam em Deus.

Nada, porém, esperando após a morte, só o serviam tendo em vista recompensas temporais, ao que segundo eles, se limitava a providência divina. Mesmo, depois de decorridos muitos anos em que Jesus Cristo veio a terra, hoje ainda têm muitos Saduceus inseridos em diversas religiões. Os Saduceus tinham a satisfação dos sentidos físicos por objetivo essencial da vida. Pelo exposto, apesar de acreditarem em Deus demonstravam serem puramente materialistas. Colocavam as boas obras e a observância pura e simples da Lei acima das práticas exteriores do culto. Eram, como se vê, os materialistas, os deístas e os sensualistas da época. Seita pouco numerosa, mas que contava em seu seio importantes personagens e se tornou um partido político oposto constantemente aos Fariseus. Os Fariseus, tendo sabido que ele tinha feito calar a boca dos Saduceus, reuniram-se, e um deles que era doutor da lei, veio lhe fazer esta pergunta para tentá-lo. Mestre, qual é o maior mandamento da lei? Jesus Cristo não se fez de rogado e simplesmente respondeu: “Amarei o Senhor vosso Deus de todo vosso coração, de toda a vossa alma e de todo o vosso espírito; é o maior e o primeiro mandamento”.

“E eis o segundo, que é semelhante àquele:” Amareis vosso próximo como a vós mesmos. Toda a lei e os profetas estão contidos nesses dois mandamentos. (Matheus, cap. XXII, v. 34 a 40). Os Fariseus, nomenclatura derivada do hebreu parush, divisão, separação. A tradição constituía parte integrante da teologia dos judeus. Consistia numa compilação das interpretações sucessivamente dadas ao sentido das Escrituras e tomadas artigos de dogmas. Olha que existe religião em que o ponto forte é a dogmatização. Constituía, entre os doutores, assunto de discussões intermináveis, as mais das vezes sobre simples questões de palavras ou de formas, no gênero das disputas teológicas e das sutilezas da escolástica da Idade Média. Daí nasceu diferentes seitas, cada uma das quais pretendia ter o monopólio da verdade, detestando-se uma das outras, como sói acontecer. Tomavam parte ativa nas controvérsias religiosas. Seguiam o Judaísmo. Como podemos notar existe uma grande diferença entre as duas seitas.

“Fazei aos homens tudo o que quereis que eles vos façam; porque é a lei e os profetas”. (Matheus, cap. VII, v. 12). Tratai todos os homens da mesma forma que quereis que eles vos tratem. (Lucas, cap. VI, v.31). A cada menção um grandioso ensinamento do Mestre Jesus, nesses ensinamentos ele mostrava Ipsis litteris a sua condição de um grande espírito. Filho do Pai Todo Poderoso ninguém tinha dúvidas, excetuando-se os invejosos e aqueles que sentiam seus tronos ameaçados, visto que com constância Jesus era chamado de o “Rei dos Reis”. Citamos aqui a palavra escolástica para os que a desconhecem cujo significado encontra ponto forte nas doutrinas teológico-filosóficas dominantes na Idade Média, dos séculos IX ao XVII, caracterizadas, sobretudo, pelo problema da relação entre a fé e a razão, problema que se resolve pela dependência do pensamento filosófico, representado pela filosofia greco-romana, da teologia cristã.

Do latim scholastica faz parte da história e da filosofia. Desenvolveram-se na escolástica inúmeros sistemas que se definem, do ponto de vista estritamente filosófico, pela posição adotada quanto ao problema dos universais (q. v.), e dos quais se destacam os sistemas de Santo Anselmo (v. anselmiano), de São Tomás (v. tomismo) e de Guilherme de Ockham (v. ockhamismo). A religião católica e os que a fazem dizem que o catolicismo é uma vertente do cristianismo mais disseminada no orbe terrestre, o mesmo catolicismo é a religião que tem maiores adeptos no Brasil. O forte da religião é a crença de que Jesus Cristo foi o Messias, mesmo que o Judaísmo discorde. Um Cristo enviado a Terra em forma humana para redimir a Humanidade e restabelecer o laço de união com Deus. O termo “católico” significa universal, e a primeira vez em que foi usado para qualificar a Igreja foi no ano de 105 D.C., numa carta de santo Inácio de Antioquia, onde era bispo.

No século dois da Era Cristã, o termo voltou a ser usado em inúmeros documentos, traduzindo a ideia de que a fé cristã já se achava disseminada por todo o planeta. No século quatro D.C., Santo Agostinho usou a designação "católica" para diferenciar a doutrina "verdadeira" das outras seitas de fundamentação cristã que começavam a surgir. Ressalte-se que, esquecem os que firmam essa história como um mandamento de que, no ano de 381 depois de Cristo, a Igreja Católica Apostólica Romana seria fundada pelo Imperador Teodósio I, de Roma, “Cunctus Populus” (através de um Decreto Imperial no Concílio de Constantinopla I, onde toda massa, em peso, era convidada a aderir à nova Igreja, sem nenhuma exigência). A Igreja católica passou então a receber pessoas de todos os matizes, como por exemplo, os arianos, os pagãos com os seus deuses, os povos bárbaros não regenerados, mas degenerados e outros convencidos e não convertidos. A Igreja Romana passou então a ser uma instituição totalmente paganizada, babilonizada e herética.

Inserimos esses detalhes, visto que quem prega os mandamentos da Lei de deus não pode ser maculada como foi quando da sua criação. Sobre ela o Apocalipse adverte a todos quanto almejam a salvação: “sai dela, povo meu, para não serdes cúmplices em seus pecados, e para não participardes dos seus flagelos” (Apocalipse 18:4). Aqui citamos alguns pensamentos de estudiosos como Jeová Mendes, Nilton Bezerra do Vale, TSA; José Delfino e algumas enunciações do livro Espiritismo de A/a/Z da FEB. Frequentemente, as pernas da pessoa executada eram quebradas ou destruídas com um taco de ferro, um ato crurifragium que também era frequentemente aplicado sem crucificação de escravos. Este ato se apressou a morte da pessoa, mas também foi destinado a dissuadir os que observaram a crucificação de cometer crimes. Mandamento é mandamento e não pode ser denegrido, pois representa a Lei Divina repassada por Jesus a todos, conforme está implícito no Novo Testamento. Apesar de todo cuidado os erros acontecem, visto que ninguém é perfeito. O belo trabalho de Jesus causou inveja, e os reis de seu tempo ameaçados pela força do filho de Deus, resolveram eliminá-lo, através da crucificação e do crucifragium.

A natureza jamais vai deixar de nos surpreender, pois a teoria ou a hipótese científica mais brilhante de hoje pode ser não mais do que uma infantilidade para futuras gerações. A única certeza é que a Ciência do futuro sempre necessitará de rever os trabalhos executados em nosso milênio e nos anteriores. O método de análise da visão quadrimensional do passado cósmico (anos-luz) de nebulosas, galáxias, estrelas, planetas e cometas obtida através de telescópio Hubble, deve exigir maior esforço de imaginação do que a leitura pela Bíblia do passado religioso de quase 6.000 anos, envolvendo a religiosidade de cristãos, judeus e muçulmanos. Deixo o julgamento com os leitores, pois a história é vasta e antiga e nem sempre condiz com a verdade. Pense nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES- MEMBRO DA ACI-DA ALOMERCE- DA UBT – DA AOUVIRCE E DA AVESP

sexta-feira, 4 de junho de 2010

UMA GUERRA SEM FIM

GUERRA SANTA

GUERRA SANTA

Já ouvimos demasiadas vezes que o confronto entre Israel e Palestino é uma “Guerra Santa”. Não aceitamos essa conotação, visto que Jesus Cristo o Salvador da humanidade, nascido na Palestina sempre pregou o amor e o perdão. O clã de Abrão que transformou o Espírito de Jeová, em Deus de Israel, mostra a sua sagacidade nas entrelinhas do AT (Antigo Testamento). Que Deus seria esse para acatar tanta crueldade e barbaridade das forças de Israel contra os palestinos? O ponto principal dessa guerra não tem nada de santidade e sim o interesse de Israel pelo território palestino. As questões políticas se desenrolam e não chegam a um denominador comum. É triste e lamentável conviver com tanta violência nas paragens onde Jesus passou a sua vida aqui no orbe terrestre. A ONU (A Organização das Nações Unidas) e os países mais evoluídos não conseguem um pacto de paz entre os dois países. “Ativista diz que barco irlandês desacelera para evitar encontro com tropas à noite. O barco de bandeira irlandesa Rachel Corrie, que tentará furar o bloqueio de Israel e entregar ajuda humanitária à Faixa de Gaza, está a cerca de 240 quilômetros da costa do território palestino e reduziu sua velocidade para evitar chegar à noite à zona de exclusão marítima determinada por Israel, informou à BBC uma porta-voz do movimento Free Gaza, que organiza a viagem.

Segundo Greta Berlin, a tripulação quer evitar que o encontro com militares israelenses em alto-mar ocorra à noite, como aconteceu com a frota atacada pelo Exército israelense na segunda-feira. "O mais provável é que o barco chegue (à zona de exclusão) na manhã de sábado", disse Berlin. Israel está dificultando a ajuda de outros países a Palestina. O navio irlandês leva mantimentos para os palestinos que estão sofrendo com as consequências dos violentos bombardeios. Segundo informes oficiais a situação se agrava dia a dia e aqui relatamos o que se passa no momento no “Teatro de Operações”, entre Israel e Palestina. Pelo menos nove pessoas foram mortas na ação militar israelense, que teve o navio turco Mavi Marmara como principal alvo. O Rachel Corrie fazia parte da frota, mas acabou ficando para trás por causa de problemas mecânicos. A rádio do Exército de Israel chegou a afirmar, na manhã desta sexta-feira, que o barco teria dado meia volta e retornado à Irlanda, mas a informação foi desmentida pelo Free Gaza.

"Há informações circulando em alguns órgãos da imprensa de que o Rachel Corrie teria voltado por problemas em dois barcos de apoio. “Não há nenhum barco seguindo viagem com o Rachel Corrie e nosso integrante citado nas reportagens nunca disse que o barco tinha voltado”, esclareceu Greta Berlin. Israel, no entanto, já avisou que não vai permitir a chegada do barco e insiste que ele seja desviado para um porto israelense ou para o Egito, onde a carga poderia ser inspecionada antes de seguir para o território palestino por terra. Israel alega temer que a carga - que inclui cimento, cadeiras de roda, equipamentos médicos, giz de cera e cadernos - também seja usada para fins militares pelo grupo islâmico Hamas, que controla a Faixa de Gaza. No porto da Cidade de Gaza, prepara-se uma festa para os passageiros do barco. Um dos 11 passageiros do Rachel Corrie é a ganhadora do Prêmio Nobel da Paz (1976) Mairead Corrigan Maguire.

Na ação militar muito se fala, mas às vezes pode haver “choque de informações” Na última segunda-feira, pelo menos nove pessoas morreram - oito turcos e um americano - em uma ação militar israelense de abordagem à frota de envio de ajuda para Gaza. Há informações de que o americano - que também tinha nacionalidade turca - morreu com vários tiros disparados de perto. Centenas de ativistas foram presos e deportados de Israel desde então. O incidente provocou uma onda de críticas internacionais, e o Conselho de Segurança da ONU emitiu declaração pedindo que o caso seja investigado imediatamente, de forma "imparcial, crível e transparente". O autor de romances policiais suecos Henning Mankell, um dos escritores mais famosos do país, estava entre os passageiros de um dos barcos da frota atacada. Ele viu, à distância, o assalto ao navio Mavi Marmara, que liderava a frota.

Em entrevista coletiva em Berlim, depois de ser deportado de Israel, o escritor defendeu que sejam adotas sanções contra o Estado de Israel, nos moldes das sanções adotadas contra a África do Sul durante o regime do ‘apartheid’. Segundo Mankell, Israel saiu "para cometer assassinato". "Eu não entendi porque eles usaram tanta força", disse, afirmando que os passageiros foram tratados com extrema agressividade. Outros ativistas a bordo do Mavi Marmara - entre eles a cineasta brasileira Iara Lee - também relataram cenas de violência por parte dos soldados. Na quinta-feira à noite, em entrevista à rede de TV americana CNN, o presidente Barack Obama disse que a morte dos ativistas foi "trágica", mas afirmou que o incidente pode ter efeitos positivos sobre o processo de paz na região. Desde a ação militar, o primeiro-ministro israelense Binyamin Netanyahu vem sofrendo pressão para suspender o bloqueio terrestre e marítimo a Gaza, imposto em 2007 quando o Hamas assumiu o controle do território.


Segundo o canal 1 da TV israelense, Netanyahu teria dito na quinta-feira ao ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair que estaria disposto a flexibilizar o bloqueio marítimo a Gaza, caso fosse instaurada uma comissão internacional para inspecionar a carga dos navios. Blair é um dos representantes do Quarteto, grupo que negocia a paz no Oriente Médio - formado por EUA, Rússia, União Europeia e ONU. A embarcação de bandeira irlandesa aguardada no território foi batizada de Rachel Corrie em homenagem à ativista americana de mesmo nome morta em Gaza em 2003, quando tentava impedir que uma escavadeira demolisse uma casa palestina. Os organizadores da missão instalaram câmeras de segurança e equipamentos de gravação para registrar todas as ações a bordo, para garantir a segurança dos passageiros civis e precisão de informações no caso de um futuro inquérito sobre a missão. Estas informações são da BBC-Brasil. Sobre o Grupo Terrorista Hamas o primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirma que o Hamas não é um grupo terrorista e equiparou o ataque aos navios israelenses de ajuda humanitária com a ação de piratas somalis. Em discurso na cidade conservadora de Konya, no centro de Anatólia, retransmitido pelas televisões locais, Erdogan leu em hebraico da Torá no qual diz “Não Matarás”.

Além disso, defendei=u o movimento islâmico Hamas, considerado um grupo terrorista por Israel e Estados Unidos. As notícias que se tem apesar de Erdogan defender o Hamas é que existe perseguição sobre os líderes desse movimento. “Maher Uda, 47 anos, um dos fundadores do braço armado do Hamas na Cisjordânia, foi capturado na região de Ramallah, no norte da Cisjordânia, durante a madrugada de hoje, revelou a mesma fonte. "Era procurado desde o fim dos anos noventa pela sua implicação numa série de atentados suicidas em Israel que provocaram 70 mortos" indicou um porta-voz militar. Defendo explicar que Hamas e Al Qaeda são duas organizações totalmente diferentes. "O Hamas não é uma organização terrorista", afirmou Erdogan, que assegurou que o movimento não está relacionado com a Al Qaeda.

O primeiro-ministro turco ressaltou ainda que o Hamas chegou ao poder após vencer eleições democráticas. Também negou qualquer semelhança entre o Hamas e o grupo armado curdo PKK, considerado terrorista na Turquia, na União Europeia (UE) e nos EUA. Segundo ele, enquanto os militantes do PKK são turcos, os do Hamas são "resistentes que lutam para defender sua terra". Adensa-se o mistério à volta do assassinato de Mahmoud Al-Mabhouh. O chefe operacional do Hamas foi assassinado no Dubai, em Janeiro. Depois de um vídeo, onde se veem os alegados suspeitos, agora foi a vez de serem publicadas fotografias.

Mas a maioria das pessoas alegadamente implicadas garante não ter nada a ver com o caso. Ter-se-á tratado de um roubo de identidade, dizem. Paris, Londres ou Dublin já confirmaram que os passaportes em causa foram falsificados. Suspeita-se cada vez da implicação de Israel. Gad Shimron, antigo agente da Mossad, diz não ter a “certeza que tenha sido uma operação puramente israelita.” E acrescenta: “Não vou ficar surpreendido se, dentro de 20 ou 30 anos, quando os arquivos forem abertos, se ficar, a saber, que esta operação foi internacional, talvez mesmo com o apoio dos serviços secretos de certos países ocidentais.” Para já, Israel não fez qualquer comentários às acusações que pesam sobre si. Mahmoud AL-Mabhouh, chefe operacional do Hamas, foi assassinado no Dubai, no passado dia 20 de Janeiro. É um disse me disse que deixa as autoridades políticas do mundo meio atordoadas, enquanto isso, os ataques acontecem de lado a lado, as mortes são inúmeras e a carnificina já virou rotina nos dois países. As informações aqui inseridas são de sites que falam da guerra entre eles: “(http://pt.euronews.net/2010/02/17), (RTP). Vamos pedir as autoridades mundiais mais ação para acabar com as inúmeras mortes que acontecem inclusive crianças, adolescentes e idosos são vítimas dessa guerra sem fim. Pense nisso.

ANTONIO PAIVA RODRIGUES- MEMBRO DA ACI- DA ALOMERCE- DA AOUVIRCE-DA AVESP- DA UBT

quinta-feira, 3 de junho de 2010

CORPO DE CRISTO

“CORPUS CHRISTI”

“CORPUS CHRISTI”

Corpus Christi uma festividade inerente a Igreja católica, instituída em 1264, ou a respectiva oitava, tinha como fundamento numa revelação obtida pela freira Juliana de Liége. Diante desta revelação teve inicio a evolução da doutrina conhecida nos dias de hoje como “Eucaristia”. Uma palavra de derivação grega eucharistía, e do latim eucharistia um dos sete sacramentos da Igreja católica, no qual, segundo a crença. Jesus Cristo se acha presente, sob as aparências do pão e do vinho, com seu corpo, sangue, alma e divindade. Senhores este é mais um dos muitos dogmas da religião católica, visto que Jesus apesar de ser um Espírito Puro não tem divindade, pois a divindade é exclusividade do Pai Maior, Deus, Todo Poderoso. Representa o ato central do culto cristão, missa, banquete sagrada, comunhão, ceia e memorial do Senhor, pão dos anjos, pão da alma, as espécies consagradas, o ato de dar graças. São essas as sinonímias que levaram a consagração do dia de “Corpus Christi”.

Em 1414, no Concílio de Constança estabelece a proibição de que se dê, aos leigos, o Cálice na Santa Ceia, Achamos estranho que um papa crie a “Eucaristia” e anos depois num Concílio haja proibição de dar a comunhão no Cálice da Santa Ceia. O fiel católico romano diante desse fato passou a comungar de uma mesma maneira ou numa só espécie: a hóstia, simulacro do pão. No citado Concílio, o padre João Huss, por discordar do Papa, foi transformado num herege e conduzido a fogueira. Achamos estanho que uma data festiva pela Igreja Católica seja enlameada 150 anos depois, e por uma discórdia de um membro da igreja, o mesmo tenha sido considerado herege, e morto na fogueira. Onde fica o amor, o perdão e os ensinamentos deixados por Jesus? Na realidade os membros da religião do mais alto escalão não aceitavam contestações de nenhuma forma que eram considerados hereges, excomungados e queimados na fogueira.

Algumas cidades brasileiras comemoram a data enfeitando as ruas com um belíssimo tapete feito na noite que antecede o dia da festa da “Eucaristia. É também uma expressão latina que significa Corpo de Cristo, festa que celebra a presença real e substancial de Cristo na Eucaristia. É realizada na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade que, por sua vez, acontece no domingo seguinte ao de Pentecostes. É uma festa de 'preceito', isto é, para os católicos é de comparecimento obrigatório participar da Missa neste dia, na forma estabelecida pela Conferência Episcopal do país respectivo. A procissão pelas vias públicas, quando é feita, atende a uma recomendação do Código de Direito Canônico (cân. 944) que determina ao Bispo diocesano que a providencie, onde for possível, "para testemunhar publicamente a veneração para com a santíssima Eucaristia, principalmente na solenidade do Corpo e Sangue de Cristo."

É recomendado que nestas datas, a não ser por causa grave e urgente, não se ausente da diocese o Bispo (cân. 395). Falando em Santíssima Trindade é mais um dogma da religião católica. Em 325, no Concílio de Nicéia, hoje uma cidade da Turquia, 318 bispos se reuniram para debater as mais diversificadas questões concernentes à igreja, tais como o dogma da Trindade, o Credo dos Apóstolos e a expulsão do primeiro herege de peso, Ário de Alexandria. (Jeová Mendes). Percorrendo as ondas tortuosas da Internet fomos acalhar no site da Wikipédia, um site muito rico, bem feito e confiável. Lá encontramos a seguinte observação: “A origem da Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo remonta ao século XIII. A Igreja Católica Igreja sentiu necessidade de realçar a presença real do "Cristo todo" no pão consagrado. A Festa de Corpus Christi foi instituída pelo Papa Urbano IV com a Bula ‘Transiturus’ de11 de agosto de 1264, para ser celebrada na quinta-feira após a Festa da Santíssima Trindade, que acontece no domingo depois de Pentecostes.

Alguns senões já foram inseridos nessa matéria em seu inicio. O Papa Urbano IV foi o cônego Tiago Pantaleão de Troyes, arcediago do Cabido Diocesano de Liège na Bélgica, que recebeu o segredo das visões da freira agostiniana, Juliano de Mont Cornillon (Juliana de Liége), que exigiam uma festa da Eucaristia no Ano Litúrgico. Conta à história que um sacerdote chamado Pedro de Praga, de costumes irrepreensíveis, vivia angustiado por dúvidas sobre a presença de Cristo na Eucaristia. Decidiu então ir à peregrinação ao túmulo dos apóstolos Pedro e Paulo em Roma, para pedir o Dom da fé. Ao passar por Bolsena (Itália), enquanto celebrava a Santa Missa, foi novamente acometido da dúvida. Na hora da Consagração veio-lhe a resposta em forma de milagre: a Hóstia branca transformou-se em carne viva, respingando sangue, manchando o corporal, os sanguíneos e as toalhas do altar sem, no entanto manchar as mãos do sacerdote, pois, a parte da Hóstia que estava entre seus dedos, conservou as características de pão ázimo.

Por solicitação do Papa Urbano IV, que na época governava a igreja, os objetos milagrosos foram para Orviedo em grande procissão, sendo recebidos solenemente por sua santidade e levados para a Catedral de Santa Prisca. Esta foi a primeira procissão do Corporal Eucarístico. A 11 de agosto de 1264, o Papa lançou de Orviedo para o mundo católico através da bula Transiturus do Mundo o preceito de uma festa com extraordinária solenidade em honra do Corpo do Senhor. As visões de Juliana de Liége, bem como as suas declarações coadunam com que diz a Doutrina Espírita (manifestação mediúnica). A festa de Corpus Christi foi decretada em 1264 como já citado várias vezes aqui nessa matéria. O decreto de Urbano teve pouca repercussão, porque o Papa morreu em seguida.

Mas se propagou por algumas igrejas, como na diocese de Colônia na Alemanha, onde Corpus Christi é celebrada desde antes de 1270. A procissão surgiu em Colônia e difundiu-se primeiro na Alemanha, depois na França e na Itália. Em Roma é encontrada desde 1350. A Eucaristia é um dos sete sacramentos e foi instituído na Última Ceia, quando Jesus disse: ‘Este é o meu corpo... Isto é o meu sangue... Fazei isto em memória de mim’. Porque a Eucaristia foi celebrada pela 1ª vez na Quinta-Feira Santa, Corpus Christi se celebra sempre numa quinta-feira após o domingo da Santíssima Trindade. Corpus Christi comemora-se 60 dias após a páscoa. Como todos podem ver é uma data muito complicada e que merece um estudo mais apurado para se ter um certeza da sua criação e comemoração.

Pentecoste vem do grego pentekosté e do latim pentecoste uma festa católica celebrada 50 dias depois da Páscoa em comemoração a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos. Não queremos formar opinião a respeito da crença de algumas religiões, mas muitas celebrações da religião em apreço nada mais são do que dogmas criados por seres humanos imperfeitos como nós e que vem passando por tradição de ano a ano, de década a década e de séculos por séculos. A fé é inerente ao ser humano e ela tem uma força espiritual muito grande. Não devemos jamais condenar a fé de ninguém, mas colocar a disposição dos curiosos de como surgiram certas comemorações religiosas. Pense nisso! A verdade só a Deus pertence.

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI- DA ALOMERCE- DA UBT- DA AVESP E DA AOUVIRCE

domingo, 25 de abril de 2010

AMOR MATERNO

DIA DAS MÃES

DIA DAS MÃES

“Se porventura o desânimo congelou o seu impulso de realizar algo de superior, procure sem demora reacender no coração a bendita chama da esperança e volte ao campo de atividades o mais rápido possível”. Essa é a nossa destinação dada por Deus e que muitos não conseguiram imantar em seus corações. Num mundo de provas e expiações tudo é possível, mas precisamos de uma diretriz imantada para almejarmos o melhor para nossa vida. Viemos ao mundo através de ventre materno. A nossa moradia primeira onde iremos assimilar as boas ações de um lar auspicioso proporcionando a genitura da educação, da fraternidade, da caridade que devem estar presentes sempre em nossos corações.

Somos preparados num espaço de amor através do líquido amniótico. Nele somos preparados para vida. Aquele belo ser que nos abraçou nos acariciou durante esse tempo nominamos de mãe. Amor verdadeiro que não cobra nada porque tudo é doação, é renúncia, e compreensão. O legítimo amor deixa que a vida floresça em plenitude. A portadora desse amor efervescente deifica os anseios de uma criança que se torna adolescente, adulto e jamais esquecerá o amor sublime de uma mãe dedicada, amorosa, sacrossanta, divina mercê do Pai Celestial. Desejaríamos que todas as mães tivessem esse perfil e as que não o alcançaram com certeza terão as energias ardorosas de Jesus, e de passo em passo alcançarão esse objetivo.

O peixe mora gratuitamente na água, mas deve nadar por si mesmo, indiferente do ser humano que deve ser amamentado, cuidado com amor e carinho para se tornar um bom homem no futuro. O princípio doutrinário da vida resume-se no nascimento e na morte. O maior enigma da vida é a morte e da morte é a vida. Nesse viés traçado por Deus nossa querida mãezinha cumpriu sua missão e nos deixou. Hoje ainda sentimos a sua saudade, o seu perfume, as suas carícias e o aconchego dado por toda a vida. Somos todos irmãos ante a Providência Divina, interligados no trabalho do dia a dia em função de nosso aperfeiçoamento mútuo. Um dia seria pouco para homenagearmos todas as mães, independente de classe social, raça e religião. Nesse dia tão importante e belo queremos reverenciar todas as mães do Ceará, do Brasil e do mundo. Em nossas relações familiares, o amor maternal e frutífero está presente, desencadeando uma luz, um vetor de energias positivas, purificadoras e saneadoras. É o amor de mãe para com os filhos que ela guarda no coração. O amor maternal é um dever divino com nuanças que acontecem no mundo animal, como no mundo hominal. Comum em inúmeros países, o Dia das Mães é uma das datas comemorativas mais conhecidas no mundo. Ao emitirmos uma palavra de amor devemos fazê-lo com criatividade consoladora, onde a candeia do bem estiver apagada. Um beijo, um afago, um abraço carinhoso valem mais do que mil presentes materiais.

Quando nos vem à mente a figura de mãe, sempre surge acompanhada de um misto de divino e humano. O amor de mãe tem que ser presencial aonde o encargo vem à nossa esfera de ação por efeito da Providência Divina, mas a valorização do encargo e do trabalho parte exclusivamente de nós. O amor materno quando desatrelado por qualquer circunstância causa dissabores aos pais e muitas das vezes a ação terá uma reação drástica e com muito sofrimento. Nada mais belo, mais carinhoso do que o amor de mãe, mas por problemas culturais e econômicos uma nova mãe surge para regar o novo ser de afeto, de carinho e de amor. São as segundas mães, as avós que estão assumindo a educação dos netos em qualquer atividade familiar.

É muito rara a pessoa que não se comova diante da lembrança de sua mãe. Meninos que abandonaram o lar por motivos variados, e vivem nas ruas, quando evocam suas mães, uma onda de ternura e lágrimas lhes invadem o ser. Por que será que as mães são essas criaturas tão especiais? Por que são carinhosas, dóceis e insubstituíveis. Um coração de mãe é compassivo. A mãe sempre encontra um jeito de socorrer seu filho, mesmo quando a vigilância do pai é intensa. A harmonia no lar tem quer ser plena, pois nos dias atuais muitos pais fazem o papel de mães. No entender dos filhos, as mães têm ligação direta com Deus, pois tudo o que elas pedem, Deus atende. O respeito às mães perdura até nos lugares de onde a esperança fugiu. Existem mães alegres, tristes, visto que cada uma delas tem problemas com o lidar com os filhos. Se todos os filhos soubessem o valor inestimável de uma mãe, o convívio entre ambos seria recíproco e recheado com carinho, afeição, alegria. Admiráveis são todos os espíritos nobres e retos que militam com grandeza na causa do bem. Ninguém se eleva, sem esforça máximo da vontade, dos campos do hábito para as regiões iluminadas da experiência. As mães estão inseridas nesse belo rol que engrandecem as nossas vidas.

ANTONIO PAIVA RODRIGUES- MEMBRO DA ACI- DA ALOMERCE-DA AOUVIR-CE/ DA AVESP- DA UBT

Antonio Paiva Rodrigues

Minha foto
Fortaleza, Ceará, Brazil
Este blog tem por finalidade divulgar o jornalismo pelo Brasil e no mundo. Bem como assuntos doutrinários e espirituais.