TOP BLOG

TOP BLOG
Espiritismo Redivivo

sábado, 30 de maio de 2009

BRUXARIA E FEITIÇARIA

BRUXARIA E FEITIÇARIA

Existem diferenciais para estas duas palavras? Pelos nossos conhecimentos sobre religião sabemos que algumas religiões ou seitas afro-brasileiras praticam estes tipos de rituais. A bruxaria seria um suposto exercício de poderes sobrenaturais ou acontecimento que se atribui a artes diabólicas ou a espíritos sobrenaturais. Nas sinonímias brasileiras surgem significados como bagata, bozó, bruxedo, caborje, carochas, coisa-feita, feitiçaria, feitiço, fungu, macumba, malfeito, mandinga, mandraca, mandraquice, mocô ou mocó, mundrunga, sacaca, salgação, sortilégio, trabalho resultando na ação maléfica atribuída a bruxos ou magos; magia negra. Já na feitiçaria o termo é mais comum e menos complexo dando somente conotação de ação praticada por feiticeiros (as). É um ritual muito antigo trazido por nossos antepassados que vieram ao Brasil do Continente africano como escravos.

Ressalte-se que no Império Romano, os que praticavam a magia formavam grande parte da sociedade romana. Na literatura Greco - romana faz referências à magia, principalmente no período anterior a Apuleio. Procuremos desvendar algumas nuanças sobre este nome Apuleio ou Lucius Apuleius (Filósofo e escritor satírico romano que viveu entre os anos 125 a 164) somente 39 anos de vida. Sendo filósofo e escritor satírico nascido em Madaura, na Numídia hoje transformada em Argélia, foi uma figura notável da literatura, da filosofia e da retórica platônica de sua época. Recebeu sua educação em Cartago e Atenas, esteve viajando pelo Mediterrâneo os famosos ritos de iniciação e cultos da feitiçaria. Profundo conhecedor de autores gregos e latinos, ensinou retórica em Roma antes de regressar à África para casar-se com uma rica viúva. Em virtude da oposição da família da noiva ao casamento escreveu Apologia (173), uma espécie de autobiografia.

Escreveu ainda diversos poemas e tratados, entre os quais Florida, coletânea de trabalhos de eloqüência, mas sua obra mais conhecida é O asno de ouro, uma narrativa em prosa em 11 livros a que inicialmente chamou Metamorfoses, as aventuras do jovem Lúcio, que é transformado por magia em burro e que só recupera a forma humana graças à intervenção de Ísis, a cujo serviço se consagra, e cujo episódio mais destacado dessa obra-prima, o único romance da antiguidade a chegar completo aos nossos dias, é a bela fábula de Amor e Psiquê, que pode ser interpretada como uma alegoria da união mística, relacionando cenas grotescas, terrificantes, obscenas e, em parte, deliberadamente absurdas. O tema desta obra foi retomado por muitos escritores, entre os quais, no século XIX, os poetas ingleses William Morris e Robert Bridges. Outras passagens também reconhecidas em Decameron, de Giovanni Boccaccio, no Don Quixote, de Miguel de Cervantes, e no Gil Blas de Alain Le Sage.

Morreu em Cartago. Os limites entre as duas magias e o satanismo não estão ainda bem definidos. Em por parte da história da humanidade se sobressaíram os praticantes destes rituais e cultos. Não tiveram suas práticas estatuídas (palavra que deriva do latim statuere que significa determinar em estatuto; resolver; estabelecer, decretar, deliberar, estabelecer como preceito; expor como regra). Existe também a Demolatria que é o culto ao demônio, mas convém salientar que a palavra demônio deriva do grego daimónion, e do latim daemoniu que tem a sinonímia de anjo, podendo ser do bem ou do mal. A magia poder ser “branca ou “negra” cabendo ao mago escolher o lado melhor para seu trabalho, o bem ou o mal. Se entendendo um pouco nestas significações podemos afirmar que nas crenças da Antigüidade e no politeísmo, gênio inspirador, bom ou mau, que presidia o caráter e o destino de cada indivíduo; alma, espírito, já nas religiões judaica e cristã, anjo mau que, tendo-se rebelado contra Deus, foi precipitado no Inferno e procura a perdição da humanidade; gênio ou representação do mal; espírito maligno, espírito das trevas; Lúcifer, Satanás, Satã, Diabo ou cada um dos anjos caídos ou gênios maléficos do Inferno, sujeitos a Lúcifer ou Satanás; diabo. Nas nossas pesquisas contamos também com a valorosa contribuição da Wikipédia e Evanir Santos Júnior.

Personificação do Mal; Diabo, pessoa má, ruim, perversa, de maus instintos; diabo, pessoa (especialmente criança) importuna ou barulhenta, turbulenta, irrequieta, travessa; diabo, pessoa antipática ou de feições desagradáveis; diabo. Força ou estímulo interior que excita ou conturba os sentimentos e paixões. Existe um movimento denominado - “Nova Era” que tenta desarticular todas estas nuanças e antigas concepções classificando seus credos e práticas como Wicca tentando a transformação em pura religião. Veja a complexidade do assunto, por isso os leigos, os neófitos, os discriminadores afirmam que o Espiritismo tem como ensinamentos estas pérolas. Nunca na Doutrina Espírita estes cultos tiveram vez e nunca passaram por perto, quem afirma estas barbaridades tem com intuito a discriminação e nada mais. O que é, e como ser Wicca - Bruxa ou Bruxo. As Bruxas acreditam e aceitam a Lei Tríplice, que determina que um ato sempre tenha a resposta em efeito bumerangue. O que se faz retorna três vezes para o emissor, portanto tratam de gerar bons pensamentos e fazer todas as coisas sempre para o bem de todos os envolvidos.

Em que Acreditam as Bruxas? O que é ser Wicca? • Respeito na mesma proporção não só a seres humanos, mas para a Terra, animais e plantas. • Realização dos Ritos no interior de um Círculo Mágico, pois os Círculos (espaços sagrados). • Convicção na reencarnação. • Observação da mudança das Estações do ano, com oito Sabás Solares e entre 12 e 13 Esbás Lunares (21 ritos anuais). • Crença nos aspectos femininos e masculinos do Divino. • Repúdio ao proselitismo, pois pessoas só se tornam Bruxas por escolhas próprias. • Igualdade às mulheres e homens, pois ambos são complementares, apesar de sempre a mulher ser enfocada.• Importância aos "Três Rs" : REDUZIR, REUTILIZAR , RECICLAR. • O sentido de servidão a Terra.• Respeito por todas as Religiões e liberdade religiosa.• O Repúdio por qualquer forma de preconceito. • Conscienciosidade em relação à cidadania. Fomos encontrar estas nuanças no site: http://www.misteriosantigos.com/comoserwicca.htm/ traz todas as nuanças sobre a Wicca e mais:” Respostas para as diversas deturpações atribuídas a Bruxaria. Bruxas não acreditam nem honram a Deidade conhecida como Satã, pois o demônio é uma crença da Igreja Católica e de outras correntes do Cristianismo, bruxas não sacrificam animais ou humanos, bruxas não renunciam formalmente o Deus Cristão, apenas acreditam em outros aspectos divinos, bruxas ou bruxos não odeiam os cristãos, a bíblia ou Jesus, nem são anticristãos, apenas não são cristãos, nos Sabás e Esbás não é utilizada nenhuma droga ou são feitas orgias sexuais, bruxas não praticam necessariamente Magia Negra. Bruxas não forçam ninguém a fazer algo que agrida seus princípios e crenças e bruxas não profanam Igrejas Cristãs, hóstias ou bíblias.

Como pode-se notar quando se fala em bruxo ou bruxa dá-se uma conotação completamente deturpada do que eles praticam e cultuam. Como tornar-se um praticante da Religião Wicca? Desde que os seres humanos estão neste planeta o espírito tem escolhido seres com um dom especial para trabalhar com a magia. Em verdade todos podemos estudar ciências mágicas ou místicas, mas só poderemos praticá-las depois de muito conhecimento, dedicação e treinamento. Costuma-se dizer que o aluno encontrará seu mestre quando seja a hora e momento, e eu sempre digo que não são alunos, mas filhos adotados com a alma. A Iniciação - para ser um iniciado em Wicca é necessário que se estude a filosofia pelo prazo mínimo de um ano e um dia. O ano segue o Calendário Lunar de 13 meses de 28 dias, mais um dia, no total 365 dias. Daí vem a expressão "Um Ano e um Dia", pois, quando é iniciada, a pessoa estuda durante esse período para, depois, confirmar seus votos. O Calendário de 13 Luas também era usado pelos Maias, e é o que se afina melhor com os Ciclos da Terra. Para um praticante de Bruxaria é muito importante se afinar com as fases da Lua. Quando o adepto se achar pronto para ser um (a) bruxo (a) - aceitando todos os princípios da bruxaria - pode buscar dois métodos de começar nesta filosofia pagã: através de autoiniciação ou ser iniciado por um bruxo (a) experiente e capaz.

Olhem se fossemos falar em todas as conotações da feitiçaria e da bruxaria teríamos que confeccionar e com bastante pesquisa um livro sobre o assunto. A Wicca também é conhecida como uma religião de natureza xamanística com duas divindades maiores e são bem reverenciadas, como também adoradas nos ritos como deusas. (A Deusa Mãe no aspecto triplo de Virgem, Mãe e Anciã) e seu consorte, o Deus Cornífero (no aspecto masculino). Cornífero palavra latinizada corniferu, cuja adjetivação se refere às pessoas que tem corno(s) ou excrescência em forma de corno; cornígero, cornudo, cornuto, lunado. A palavra (Corno) pode até soar mal, mas está ligada diretamente a palavra arma e tem qualificação inerente a profissão militar, força militar, feito militar, distintivo de nobreza, insígnias de brasão, armadura e o conjunto de armas ou chifres de animais cornígeros; armação, cornos, tocos. Daí dizer-se de que o homem traído ou a mulher traída levaram chifres.


Lucius Apuleius, escritor latino (Madaura, atual Argélia, c. 125 - Cartago, c. 180). - Estudou em Roma e Atenas. Casado com uma viúva rica foi acusado pelos parentes de sua esposa de haver utilizado magia para obter seu amor. Defendeu-se através de uma célebre Apologia, que se conservou até nossos dias. Sua obra mais famosa é Metamorphoseon Libri XI (Onze livros de metamorfose), mais conhecida como O asno de ouro, Apuleio escreveu também: Floridas (fragmentos de discursos) e De Deo Socratis.


ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI E ALOMERCE

sexta-feira, 29 de maio de 2009

SEU INIMIGO CONVIVE COM VOCÊ!

SEU INIMIGO CONVIVE COM VOCÊ!

Lendo esta frase veio a mente um filme que fez muito sucesso, “Dormindo com o inimigo”. Aqui além de dormires com o inimigo convives diretamente com eles todas as horas, todos os dias, o ano inteiro, a vida inteira. Minúsculos, menores que células humanas, implacáveis e quase invencíveis. Você já tem uma ideia de quem estamos falando? Não. Matam sem remorsos, não respeitam nada, fronteiras e não obedecem a limites de tempo. Não escolhem vítimas, qualquer classe social será atingida por eles. Causa terror, medo, pânico etc. Seria um castigo da natureza para o homem destruidor? Talvez! Falamos dos vírus sinonímia latina virus, 'veneno'. Diminuto agente infeccioso que não tem capacidade metabólica autônoma e apenas se reproduz no interior de células vivas.


Assim como outros organismos, pode multiplicar-se com continuidade genética e é passível de mutação, podendo apresentar formas diversas, bem como ser subgrupado, de acordo com o hospedeiro, em vírus de bactéria, vírus de animal e vírus de planta, embora haja outros critérios de classificação. Cuidado senão a próxima vítima poderá ser você, seu marido, seus filhos, seus netos e seus vizinhos. Eles estão também na “Dengue” esta doença misteriosa que o homem não foi capaz de debelar. Os vírus causam muitas doenças curáveis e incuráveis. A AIDS tem tratamento, mas a cura ainda não veio. Estudos estão sendo realizados em todo mundo, os resultados são promissores, porém não chegaram ao ápice, à cura. Enquanto isso, todos nós vocês devemos tomar os devidos cuidados.


“Há mais de três décadas, C.J Peteres dedica-se a acompanhar e enfrentar esses virus assassinos. Cientista luta contra alguns dos mais cruéis e sagazes castigos da natureza. Tem conseguido vitórias e derrotam fragorosas contra este inimigo mortal. O cientista já tirou diversas fotos oito por dez, através do microscópio eletrônico, consegui ampliar as células e ao vê-las ampliadas ficou meio atônito. No interior das células encontrou partículas em forma de bastão, com curvas nas extremidades, muito parecidas com cajado de pastor, e outros de formas estranhas hilariamente retorcidas”. O ponto primordial era fazer a distinção de moléstias comuns das graves e raras. Parecendo um filovirus que significa categoria taxonômica compreendida entre o reino e a classe, ou semelhante a filamentos. Os Marburg e o Ebola eram os mais conhecidos e os mais fatais existentes na Terra. A dúvida pairava no ar, de onde vem esta coisa?


Disseram-lhe outros estudiosos: - De Reston, Virginia e explicavam que um veterinário havia importado vários macacos da África para estudos e depois da quarentena os animais começaram a morrem com uma tremenda hemorragia interna incessante. Pensou-se em febre hemorrágica ou outras doenças, mas somente especulações. O doutor ligou para um amigo de nome John White o maior especialista em filovirus. Marcaram uma reunião e o mais triste aconteceu, visto que se tratava do “Marburg” muito letal, ma em menor escala do que o Ebola. As pessoas atingidas por este vírus sangravam sem parar de uma forma horrível. O que fazer se o inimigo estava solto? Esse surgiu em 1967, em Masburg, na Alemanha, cidade ao norte de Frankfurt.


Olhos vermelhos, erupções na pele, náusea, tonturas, dores abdominais diarréia e vômitos e com o passar dos dias o estado de saúde dos doentes agravava-se e começava o sangramento por vários orifícios do corpo e os doentes entravam em estado de choque por deficiência de sangue. Vários países da Europa sofreram influência desse maldoso vírus todos oriundos de macacos trazidos de Uganda na África. Felizmente o surto foi debelado naturalmente, isto é sozinho e foi um grande alívio, mas ficou uma interrogação no ar, pois pouco se sabe sobre ele. Como sempre acontecem as pessoas que estavam em regiões perigosas trouxeram a colete os vírus, além dos encontrados nos macacos, várias pessoas morreram e algumas da equipe médica. Pergunta-se: este vírus irá aparecer novamente? Não demorou muito, pois em 26 de agosto de 1976, o professor de nome Mabalo Lokela foi a um hospital em Zaire, atual Congo queixando-se de febre apresentando os mesmos sintomas causados pelo vírus epigrafado.



Fez-se de tudo, mas uma semana depois o doente faleceu. Outros doentes chegavam ao hospital com os mesmos sintomas e morriam semanas depois, o pânico foi generalizado. Muitas pessoas morreram inclusive quem trabalha nos hospitais da região, 53% dos doentes morreram. Conseguiram isolar o vírus e identificaram o matador que os epidemiologistas chamaram de Ebola. São seres invisíveis que matam em número igual ou maior as visíveis, os humanos. Com a enxurrada causada pelas fortes chuvas aliadas a sujeira que a população causa, se desfazendo do lixo de suas casas e jogando-os nas ruas, pelas poças de água acumuladas nas ruas, nas valas, nos bueiros o inimigo mortal já vem traçando seu planejamento. O vírus causador do “Dengue” conhecido como estrategista usa o mosquito inteligente (Aedes aegypti) para fazer suas presas.


Doença infecciosa produzida por vírus, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, e caracterizada por cefaléia, mialgias, artralgias, comprometimento de vias aéreas superiores, febre, exantema, linfadenopatia. Incide, em caráter epidêmico ou de modo esporádico, na Índia, Japão, Sul do Pacífico, Caribe e América do Sul, principalmente ao norte. Cuidado o vírus passa por mutações já está na mutação quatro e se vier à quinta acontecerá com certeza uma pandemia (Do grego pandemía doença epidêmica amplamente difundida. Nas grandes florestas existem muitos virus em estado latente que permanecem escondidos; que não se manifestam; ocultos, mas com a destruição das florestas pelo homem ninguém saberá o que poderá acontecer. Se estes vírus saírem do estado latente a população brasileira correrá riscos enorme. Vamos cuidar mais da nossa Amazônia e evitar o desmatamento para nossa proteção e da população do nosso País. Pensem Nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI E DA ALOMERCE

quinta-feira, 28 de maio de 2009

ESTAGNAÇÃO BIOLÓGICA

ESTAGNAÇÃO BIOLÓGICA

A estagnação biológica nada mais é do que o passamento ou a morte. É de bom alvitre que se afirme que a morte não é o fim de tudo, ao contrário, é a continuação da vida com nova vestimenta, a espiritual. É uma mudança ou um recomeço. A morte não existe para os espiritistas e espíritas, ela é indolor. As dores que sentimos são as dores da matéria em consequência de doenças adquiridas, acidentes fatais ou por ações de vírus, bactérias, fungos etc. O ser humano sempre teve a intuição da vida após a morte, esta intuição são resquícios de vidas passadas que nos deixa pequenas lembranças. Nascemos e morremos muitas vezes esta é a nossa destinação dada por Deus. Então por que o medo da morte? No íntimo não tememos a morte e sim as dores materiais, as dúvidas sobre este fenômeno foram dissipadas com o nascimento da Doutrina Espírita, mas os adeptos da Bíblia se ler com atenção irão chegar a esta conclusão com a ressurreição de Jesus Cristo acontecida em Espírito, visto que no mundo espiritual não existe ligar para carne e sangue.


O apóstolo Paulo é incisivo em suas afirmações que estão inseridas no bíblio. Outra passagem muito especial que reforça nossas informações é quando da transfiguração de Jesus Cristo, no Monte Tabor e pode ser encontrada em Matheus. Foi de tirar o fôlego! Pedro, Tiago e João estavam num monte com Jesus. Ele estava orando; eles, dormindo. Eles acordaram. E lá estava Jesus: radiante, refulgente, resplandecentes, seu rosto brilhava como o sol e suas roupas estavam brancas como a luz. E lá também estavam Moisés e Elias em glória, conversando com Jesus. A proposta de Pedro de construir três tendas (uma para cada uma das figuras glorificadas) foi rejeitada quando Deus anunciou que Jesus era seu Filho. E depois acabou. Pedro, mais tarde, escreveu: “Porque não vos demos a conhecer o poder e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo seguindo fábulas engenhosamente inventadas, mas nós mesmos fomos testemunhas oculares da sua majestade” (2 Pedro 1:16). Eles viram a verdadeira glória de Jesus. Tinha estado velada por sua carne, mas nesse episódio passou seu brilho por ela e Pedro jamais se esqueceu. Foi para ele, e poderia ser para nós, um baluarte de fé. Jesus era realmente o filho glorioso de Deus. Ninguém se compara a ele. Buda não se transfigurou; Maomé não ressuscitou; Confúcio não subiu aos céus. Todo homem deve ouvir a Jesus; ele é sobre todos!


Paulo, mais tarde, escreveu: “E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória” (2 Coríntios 3:18). O alvo do cristianismo é transformar o cristão na imagem gloriosa de Jesus Cristo. Ao contemplarmos Jesus por meio de sua palavra e à medida que Cristo vive em nós, começamos a demonstrar a vida, o caráter e a natureza do Cristo que habita em nós. A luz fulgurante de Cristo habitando em nós fará com que os homens glorifiquem ao Pai nos céus (Mateus 5:16). Que nós também sejamos transfigurados por Jesus. (Gary Fisher). (Mnatheus 17, 1-9 | Mc 9, 2-10 | Lc 9, 28-36) - E aconteceu, porém que, seis dias (cerca de oito dias) depois destas palavras, Jesus tomou Pedro, Tiago e João, seu irmão, e (tendo tomado Pedro, João e Tiago) conduziu-os e subiu a um alto monte, consigo, a sós, para orar. E enquanto ele orava, a aparência do seu rosto tornou-se outra e a sua roupa, branca, refulgente: Ele transfigurou-se diante deles e o seu rosto resplandeceu como o sol; e as suas roupas, porém, tornaram-se resplandecentes, extremamente brancas, como a luz, como nenhum lavadeiro sobre a terra as pode tornar tão brancas.


E eis que lhes apareceram Moisés e Elias (Elias com Moisés), e estavam a falar com Jesus (com ele): dois varões falavam com ele, que eram Moisés e Elias, os quais, tendo aparecido em glória, falavam da saída dele, que estava para cumprir-se em Jerusalém. Pedro, porém, e os que estavam com ele estavam acabrunhados pelo sono. Despertando, porém, viram a sua glória e os dois varões que estavam de pé com ele. E aconteceu que, quando se afastavam dele, Pedro, porém, respondendo, disse (diz) a Jesus: «Rabbi (Chefe), Senhor, é bom nós estarmos aqui; e façamos três tendas! “Se quiseres, farei aqui três tendas: uma para ti, uma para Moisés e uma para Elias»; não sabendo o que dizia. (Pois não sabia que responder, porque estavam atemorizados.) E ainda ele falava, dizendo, porém, ele estas coisas, eis que se fez uma nuvem luminosa e cobriu (cobria)-os (cobrindo-os); e atemorizaram-se, porém, entrando eles na nuvem. E eis que da nuvem se fez uma voz, dizendo: «Este é o meu Filho amado, o eleito, no qual me agradei. Ouvi-o». E os discípulos, ouvindo, caíram com a sua face por terra e tiveram grande medo.


E, tendo soado aquela voz, Jesus encontrou-se só. E Jesus aproximou-se e, tocando-os, disse: «Levantai-vos e não temais!» Erguendo, porém, os seus olhos, e, de repente, tendo olhado em redor, não viram mais ninguém, senão (mas) o próprio Jesus só com eles. E enquanto eles desciam do monte, Jesus ordenou-lhes que a ninguém narrassem o que tinham visto, até que o Filho do Homem ressuscitasse dos mortos, dizendo: «A ninguém digais a visão, até que o Filho do Homem ressuscite dos mortos!» E eles calaram-se e não disseram a ninguém, naqueles dias, nada do que tinham visto. E guardaram a palavra consigo, perguntando uns aos outros, o que é o «ressuscitar dos mortos» (wikipedia). Muitos temem o seu mistério e não sabem que o processo é indolor seja qual for à causa da morte, conforme ela se aproxima o organismo sofre alterações químicas irreversíveis, mesmo nas causadas por acidentes ou doenças fatais. O organismo sofre tida espécie de reflexos físicos, mas a mente já está anestesiada. Morte não é doença, nem ferimento, corresponde ao fenômeno da separação do Espírito do corpo físico já inerte. Saliente-se que as funções do corpo se extinguem, mas as do espírito continuam, a diferença primordial é que o Espírito já se despojou da carne, enquanto a alma não, visto que a alma na realidade é o Espírito encarnado.

Quando se aproxima o momento da morte o ser humano não sente dor, pois já começa o processo da saída para outro mundo. Afirmam os tanatólogos que existe uma espécie de agonia, mas essa agonia nada mais é que o movimento involuntário dos músculos, o desprendimento do Perispírito começa nesta etapa. Uma sensação de paz toma conta do espírito, pois se sente como se estivesse voltando a sua casa de origem. Sente-se um torpor, cessam as dores agudas e uma grande alegria interior toma conta do espírito. Aos poucos o mundo material torna-se enevoado e o mundo espiritual começa a emergir das sombras, o ser está vivo, porém vendo - com os olhos do espírito - divisando o novo mundo e o plano material ficando para trás. Tudo que é vivo e material torna-se vago como sombras, as cores ficam menos brilhantes e se olhar para os Céus nesse momento, poderá ver uma leve coloração vermelha ou dourada, a visão material começa a se desfazer cintilando o mundo espiritual. Os desencarnados tornam-se visíveis ao redor do moribundo, eles estão ali em auxílio é uma equipe espiritual normalmente formada por parentes e amigos e socorristas do plano espiritual desencarnados muito antes.

Só quem não goza deste privilégio são os espíritos de suicidas, pois foram de encontro as Leis de Deus tirando a própria vida. Os socorristas espirituais vêm como auxiliares no desfazer dos laços do espírito com o corpo físico. O suicida sofre muito mais para se libertar do corpo fica em estado de perturbação total. Sofre, mas terá que ser tratado no mundo espiritual, ou antes, passar pelo Umbral como aconteceu com o Espírito de André Luiz. O cérebro é o último órgão a morrer, mas a mente não morre. Não raro, no desligamento existem variações podendo ser lento ou progressivo. Em doenças longas os laços podem ser desfeitos lentamente durante dias e até semanas. Quando o cordão de prata se rompe se completa o processo de morte. Sobre o cadáver a nuvem de energia do Perispírito pode pairar por uns três dias depois se dissipa. O Perispírito ainda sente por certo tempo a energia de seu antigo corpo pela atração magnética e pode ainda estar ligado a ele.


O Perispírito flutua sobre o corpo no seu próprio velório e enterro e depois pode flutuar sobre a laje do cemitério. Ele vê e ouve embora confuso, mais por ser semimaterial e sutil não conseguimos vê-lo ou senti-lo. O sofrimento dos familiares, as dores, as saudades, as lágrimas, os choros perturbam o Espírito, ele sente as dores dos familiares quer voltar, mas não pode. Existe um detalhe de que o espírito costuma sentir por três dias tudo o que acontece a seu corpo morto, sente o encaixotamento, sente falta de ar, intenso calor no caso de cremação. Francisco Cândido de Paula Xavier afirmava que o sepultamente deveria ser após 72 horas. O Espírito pode adormecer por horas, dias, meses e até anos, mas depois voltará à atividade espiritual. Se as pessoas não acreditam ou não crêem na vida após a morte podem ficar envolta em densa neblina como estivessem em pesadelos para depois “reconhecer” que penetrou na esfera espiritual e depois através da luz penetrar na névoa densa. A morte para os espíritos chega a ser aprazível é como um retorno ao lar depois de uma jornada perigosa. Os Espíritos mais evoluídos podem ser dispensados destas ocorrências confusas depois da morte. Por isso, a importância de se praticar o bem e a caridade sempre são benéficos aos espíritos. Pensem Nisso!


ANTONIO PAIVA RODRIGUES- MEMBRO DA ACI E DA ALOMERCE

SUPERAÇÃO

SUPERAÇÃO


A superação representa para o ser humano uma barreira ultrapassada, obstáculos vencidos, mesmo com dificuldades. Nos dias atuais é perceptível a olhos vistos profundas e imensas alterações no comportamento das pessoas, quando enfrentam situações de morte na família, ou entre amigos. A palavra superação é de derivação latina superatione, cuja sinonímia representa o ato ou efeito de superar. Convém salientar que o maior enigma da vida é a morte, e o da morte é a vida. Vida e morte caminham juntas. São condições ou situações naturais de todo ser vivo. A morte antigamente era revestida de desesperos, desmaios, gritos, choros incessantes, diante de um corpo em estagnação biológica.

Na realidade o materialismo ainda é o vilão desta situação escabrosa, se as pessoas estivessem espiritualmente mais elevadas não sofreriam tanto. É um sentimento mais compatível de perda momentânea, visto que a indignação e revolta, a tristeza e a saudade estão se tornando mais compatível com a realidade. Com a imperfeição do ser humano e a sua ligação com a materialidade, os prazeres da vida, a saudade, a ausência acaba interagindo no ego das pessoas, vindo consequentemente o sentimento de ausência, dor e desespero. O ser humano espiritualizado sofre, porém em escala bem menor.

Sabemos que não é tarefa fácil, mas devemos incutir nas pessoas, na família, na sociedade de um modo geral, de que a morte é uma fase natural da vida. Alguns pontos devem ser colocados para amortizar os efeitos da morte: descaso na educação dos filhos, o apego doentio, comportamento a indiferença, a ingratidão, o desrespeito para com nossos amigos e familiares. Toda separação, rompimento de alianças causam dores e sofrimentos. As preces, as orações e o tempo são responsáveis pelo abrandamento da perda. Não podemos colocar o egoísmo acima de todas as nuanças que acontecem pós-morte.

As religiões agem diferentemente diante da estagnação biológica. Os mórmons afirmam que o sofrimento é parte da existência humana. É necessário que haja oposição para que exista crescimento, de acordo com a visão Mórmon da nossa existência mortal, revelada pelo Senhor através de profetas modernos. Ela pode, entretanto, ser aliviada através do poder do sacrifício de Jesus Cristo. Os Mórmons acreditam que o Salvador não morreu apenas para pagar por nossos pecados, mas também para tomar sobre si as nossas dores, sofrimentos e enfermidades (Alma 7: 11-12). Os espíritas afirmam ser a morte uma passagem da vida material para a espiritual com a liberação do Perispírito do corpo inerte.

Retirando-se as mortes abruptas o espírito sabe à hora certa de se despojar da matéria que voltará de onde veio do fluido cósmico ou universal. “O próprio Salvador foi um homem de dores e sofrimento, ainda assim Ele a alegria suprema de saber que estava em tom com Seu Pai e consolo naquele relacionamento único com Ele. Nós, também, podemos encontrar paz e certeza de que não seremos abandonados quando a morte de um ente querido nos atingir ou quando o arbítrio de algum colide com os planos para nossa própria vida”. Danuia diz que: “Descobriremos o significado da morte, compreendendo a infelicidade e a angústia por ela causada. Quando alguém falece, manifesta-se um choque intenso a que chamamos sofrimento. Exemplo: vocês perdem alguém a quem amava em quem haviam confiado e que suas vidas enriqueciam.

Quando há sofrimento, sinais da pobreza do ser buscaram para ele um remédio, o remédio que a religião nos oferece, a unidade final de todos os seres humanos, com muitas teorias que lhe diz respeito. Buscamos inúmeras fugas para a angústia causada pela morte de alguém a quem amamos. Estas fugas são apenas vias sutis para que possamos esquecer-nos de nós mesmos. Nossa preocupação não diz respeito à morte, mas sim, ao nosso próprio sofrimento. “Só que o que acontece é que lhe chamamos de amor pelos mortos”.

Quem não se ama um ser querido o amor, o carinho e o afago ficam para trás. Na Páscoa celebramos a morte e ressurreição de Jesus Cristo. Transformar a morte em vida é um mistério de fé e uma experiência humana. Uma abordagem missionária do significado da morte e da vida eterna também em outros credos abre caminhos de diálogo e comunhão. Pinçamos de Joaquim Gonçalves: “Quando se fala que outras religiões têm seus "depósitos de fé", entendidos por seus adeptos como frutos de uma revelação sagrada, muitos cristãos ficam ainda um pouco assustados e se perguntam se também eles se salvam. Há quem prefira evitar confrontos com outros credos”.

Também há quem se abra a um pluralismo e até ao sincretismo religioso, perdendo a identidade da fé cristã. De uma forma ou de outra, devemos reconhecer que todas as religiões expressam suas convicções, que impregnam a vida dos fiéis, através de tradições orais ou escritas, de dogmas e de rituais geralmente celebrados em contexto de festa e com total convicção de alcançar, de algum modo, a salvação. Já se foi o tempo em que muitos missionários consideravam os rituais de outras religiões, que algumas antropologias chamavam de primitivas, como coisas do demônio. Também passou o tempo em que se pensava que fora da Igreja não havia salvação, confundindo evangelização com imposição da cultura do evangelizador. Na verdade, Jesus prometeu aos Apóstolos o Espírito Santo que "lhes ensinaria todas as coisas" (Jo 14,26).

Sabemos que o assunto é controverso, mas temos que nos render diante da fé. Inclusive a própria religião professada sem fé é morta. A fé e o conforto espiritual queiram ou não são os dois vetores para amenizar os sofrimentos que a morte proporciona. Todos os seres humanos são dotados de corpo etéreo e mental, por isso somos imortais. Achamos que a contestação distorce os fatos. Na Epístola de Pedro ele diz: ‘Que Deus é dos vivos e não dos mortos. Deus é Espírito e se fomos criados a sua imagem e semelhança somos Espíritos também. O Espírito não morre o que se esvai é a matéria. Precisamos assimilar quando se fala em morto nos Evangelhos – Aqueles que estão no mundo praticando o mal, o desamor, tirando a vida de seus irmãos esses para Deus e Jesus Cristo, são os considerados mortos.


Determinadas religiões aceitam, mas de uma forma diferente, pois Deus virá julgar os vivos e os “mortos”, a terminologia morto encontrada na Bíblia não significa a estagnação biológica ou o fim de tudo, pois se assim fosse os que leem as palavras de Jesus não estariam entendendo nada. Quando Jesus convidou um jovem a segui-lo, ele em companhia de Pedro, João e Thiago se dirigiam ao Monte Tabor para a transfiguração onde conversou com os Espíritos de Elias e Moisés que haviam vivido milênios atrás, o jovem respondeu: “Mestre não posso, pois tenho que enterrar meu pai, Jesus então respondeu: “Deixai que os mortos enterrem seus mortos”. Como pode um morto enterrar outro? Para um bom entendedor duas palavras bastam. Devemos para superar os sofrimentos causados pela morte fortalecer o nosso coração e partir para a superação. Pensem nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI E DA ALOMERCE

sexta-feira, 22 de maio de 2009

CIDADANIA COMPORTAMENTAL

CIDADANIA COMPORTAMENTAL

A cidadania nada mais é do que a qualidade ou estado de cidadão. A educação do homossexual na área do sexo, à luz da Doutrina Espírita, não se fará com a eliminação dos seus reflexos mentais de feminilidade ou masculinidade, pois estes já constituem patrimônio íntimo, adquiridos em experiências nas reencarnações sucessivas, nos milênios. O que é bom no Espírito deve ser conservado, cabendo somente o dever de aperfeiçoar e purificar estas qualidades. É imprescindível que o homossexual trabalhe a espiritualização de sua própria personalidade para que possa, através dela, dominar os desejos inferiores, conter as aberrações sexuais e distanciar-se da promiscuidade sexual, direcionando suas energias psíquicas com muito esforço interior para que as obras da fé superior, da caridade, da virtude e das artes.

O Espiritismo explica o fenômeno da homossexualidade pela inversão do corpo físico, ou seja, em oposição à característica masculina ou feminina registrada profundamente no arquivo mental de cada Espírito, acumulada através das sucessivas experiências reencarnatórias. A personalidade sexual de cada Espírito está guardada na mente. A doutrina espírita por ser uma Doutrina filosófica, trata também do aspecto religioso e científico relacionados ao ser humano. A Revista –(ISTO É) traz em seu bojo mais uma matéria polêmica inserida no exemplar de número 2062 de 20 de maio de 2009. “Enfoca o assunto “Cidadania Gay” ou “Cidadania Homossexual”. E adianta que o plano lançado pelo governo federal estabelece direitos dos homossexuais, que têm obtido avanços importantes na justiça. E os deveres onde ficam? Se existem direitos os deveres também são institucionalizados.

Essa vitória é uma conquista da sociedade brasileira, diz Antonio Ferreira, que ganhou no Tribunal Superior do Trabalho (TST) o direito à indenização de R$ 1,3 milhão do Bradesco por homofobia. Homofobia é aversão a homossexuais ou ao homossexualismo. Não fazemos discriminações a nenhum ser humano e a opção sexual de cada um, mas se Deus existe o que consta nos escritos bíblicos o mundo poderá virar uma Sodoma e Gomorra com nuanças mais perigosas. O normal conforme o determinismo do ser humano seria um homem para uma mulher. Vamos imaginar como ficará o âmbito social e público com dois homens se beijando e com duas mulheres se acariciando e beijando-se ao mesmo tempo em público.

Vemos ou vislumbramos um perigo de transtorno da sociedade, onde as crianças ainda não têm consciência formada e como se portarão perante aos pais e familiares. O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro na contramão, ao julgar um pedido de ação popular – impetrada para devolução aos cofres públicos dos recursos doados pelos governos, estadual e municipal para a última Parada do Orgulho Gay, o desembargador Cláudio de Mello Tavares mostrou que há ainda há muito a avançar para reduzir o preconceito no País.

Se a homossexualidade é um transtorno da personalidade como afirmou o desembargador deveria ser tratado por médicos psiquiatras e não se aprovar de pronto uma opção sexual que não traz benefícios a coletividade e tão somente ao ciclo de homossexuais. A revista em si trata o problema com um só viés, os ditos pertencentes ao “terceiro sexo”. Seria o caso de se fazer um plebiscito para saber a opinião da população e acabar de vez com estas churumelas. Guilherme Mallas terá direito à pensão de seu companheiro, o PM Antônio Módulo. Queremos saber se haverá desquites e divórcios no caso da aprovação da cidadania Gay. No Brasil o errado é que está certo. Arlécia Duarte e Maria Letícia Mariano conseguiram que no registro do filho constassem duas mães. Se existem duas mães onde estariam os dois pais? Com certeza esta criança num futuro bem próximo poderá ser alvo de problemas psicológicos, pois os filhos são resultados da união de casais, homens e mulheres.

Ele poderá pensar o seguinte: se eu tenho duas mães onde estão meus pais? Como fui gerado? O que se discute é o que está acontecendo no presente, mas a justiça deveria estudar muito bem o que se sucederá no futuro. Homem com homem não gera nada, mas poderá gerar violência. Nos casos das uniões de mulheres poderá gerar violência e problemas sociais. Existem no Brasil coisas mais importantes para serem tratadas. Que os homossexuais se unam tudo bem, o que não pode acontecer é a regularização judicial do “terceiro sexo”. Nos noticiários policiais temos presenciados crimes violentos envolvendo homossexuais e como se comportam uma boa parte deles nas ruas e avenidas principalmente no período noturno é um escancaramento total. A sodomia é uma palavra de derivação latina sodomia, que tem como sinonímia a conjunção sexual anal, entre homem e mulher, ou entre homossexuais masculinos. No discurso corrente de políticos, comunicadores, dirigentes, educadores, sociólogos e uma série de outros agentes que, de alguma maneira, se mostram preocupados com os rumos da sociedade, está presente a palavra cidadania. Como é comum nos casos em que há a superexploração de um vocábulo, este acaba ganhando denotações desviadas do seu estrito sentido.


Hoje, tornou-se costume o emprego da palavra cidadania para referir-se a direitos humanos, ou direitos do consumidor e usa-se o termo cidadão para dirigir-se a um indivíduo qualquer, desconhecido (Marcos Silvio de Santana) . Ainda dentro das aberrações sexuais existe a molície que vem de molição derivação latina de molitione que representa o grande esforço para alcançar um fim ou realizar alguma coisa. Na antiguidade existiam mulheres com clitóris avantajados que tentavam até conseguir a penetração em outra mulher. Como tudo pode acontecer, se um ser humano com esta distorção quiser fazer penetração no homem aí será o fim. “No corpo feminino se encontra uma parte que os anatomistas chamam “clitóris”. Esta parte é composta dos mesmos elementos que o pênis do homem, isto é, de raízes, artérias, carne. Ela teria também a forma do pênis quando inchada; o clitóris é inflado pelo movimento dos sopros seminais. Ele seria provido, como o pênis, de uma glande; em cima da glande há um orifício que, entretanto, não se percebe senão na metade do corpo do clitóris e pelo qual não se vê sair nem urina, nem esperma, nem qualquer humor (“humeur”).

O clitóris se localiza dentro do “pudendum” da mulher, acima do canal urinário; ele é coberto pelas “nymphes”, dois corpúsculos contíguos ao dito canal (Minisa Nogueira Napolitano Mestranda UNESP/ Franca). Entre as mulheres, o clitóris é o órgão de deleitação venérea... Encontra-se em todas as mulheres, mas nem todas os possuem descobertos ou o fazem para sair do vaso do pudor: se percebe somente uma pequena protuberância nesse lugar do corpo da mulher onde se esconde o clitóris; e esta proeminência pode sair mais para fora das partes vizinhas se, por efeito de excitação venérea, o membro em questão estiver inchado interiormente”. “Na Europa, ao contrário, não é desenvolvido a não ser em certas mulheres; entre aquelas que, por abundância de calor e de sêmen, possuem sopros seminais vigorosos que inflam o clitóris e o fazem sair, e também entre aquelas que, na infância se tocam as partes genitais sob o estímulo de precoces desejos. “Entre algumas mulheres o clitóris é do tamanho do dedo médio da mão, entre outra é maior”. É um assunto que deve ser cuidadosamente estudado pela justiça, pela sociedade e por todos de um modo geral. Será que trará algum benefício para a sociedade a união Gay? Fica a indagação no ar. Vejam que o apóstolo Paulo diz na Bíblia: "Digo que seria bom ao homem não tocar mulher alguma. Porém, para evitar a fornicação, tenha cada um sua mulher, e cada mulher o seu marido", e continua o apóstolo Paulo, "digo-vos isto, não por mandamento, mas por uma condescendência", e conclui, "se não se contêm, casem-se; pois é melhor casar-se do que abrasar-se".Pensem nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES- MEMBRO DA ACI E DA ALOMERCE

TRÁFICO DE ÓRGÃOS

TRÁFICO DE ÓRGÃOS

Ao iniciarmos esta matéria queríamos dar conotação a uma mensagem que achamos bem ao estilo do assunto. “A fé anula o sofrimento. O sofrimento vive de má avaliação das circunstâncias, da falta de opções, de soluções. Preencha-se de fé, da certeza de que tudo se resolve, confiante no seu poder de eliminar problemas e ser feliz. A fé forte é como uma voz forte ecoa no coração, na mente, na alma. Tremem ao ouvi-la os pensamentos de incerteza, de medo e desesperança, que saem rapidamente. Creia que pode e já estará podendo. A fé verdadeira não teme obstáculos”. Fazemos uma indagação: “Por que existe o tráfico de órgãos? Porque a doação é possível. Será que sempre será preciso um irmão ter morte encefálica para dar vida a outros? Olha a inversão de valores no Brasil é grandiosa e envergonha a gregos e troianos. Tanto se falou em clonagem, mas esqueceram de que órgãos humanos podem ser clonados. A falta de fiscalização e a irresponsabilidade em IMLs (Institutos de Medicina Legais) e hospitais facilita e torna possível e viável a ação de máfias para alimentar o comércio clandestino que vende órgãos e até cadáver inteiro. Que País é este meu Deus?


Acoplamos a nossa crônica uma decisão judicial publicada na Revista “Isto É”, e que faz parte da matéria do jornalista Alan Rodrigues que tem o seguinte teor: “O Ministério Público do Estado de São Paulo, por meio dos Promotores de Justiça que esta subscreve, integrantes do Grupo Especial de Repressão do Crime Organizado – GEACO, nos termos do artigo 129, inciso I, da Constituição Federal e: Apurou-se que na data dos fatos Adelina Ribeiro dos santos faleceu junto ao Hospital Municipal Dr. Cármino Caricchio em decorrência de necrose de alças intestinais, septicemia. A remoção do globo ocular do corpo, de Adelina desobedeceu de forma intencional, todas as normas vigentes. Não havia, no momento da ação criminosa, equipe médica responsável pela realização da capacitação do material ocular. A justiça denunciou as pessoas envolvidas na trama, e sim outra equipe médica e que não pertencia ao hospital.


Coisa esquisita, ainda bem que alguém avisou a polícia e os envolvidos foram presos e são reincidentes. Que absurdo os mafiosos, os criminosos, ou ladrões de órgãos humanos movimentam por ano uma fabulosa quantia que vai d US$ 7 a US$ 12 milhões no mundo. Órgão humano tem tabela de preços: esta tabela é estipulada pela máfia. Relação de preços de órgãos humanos cobrados pelos criminosos: Coração; R$ 100 mil reais, córnea R$ 20 mil, Rim: R$ 80 mil reais, Fígado: R$ 30 mil, Pulmão: R$ 60 mil, Pâncreas: R$ 30 mil e o cadáver inteiro R$ 30 mil reais. Isto acontece nas barbas das autoridades médicas e nenhuma providência é tomada. O que o Ministro da Saúde no Brasil a respeito do caso? “São quadrilhas que se escondem atrás do nome de captadores e agem sem escrúpulos para cumprir a demanda”, isso é terrível e só acontece com a aquiescência de donos de hospital e de diretores de IMLs. Nem morto, na estagnação biológica o ser humano e sua família merecem respeito no momento de dor incomparável. O ser humano é capaz de tudo. Ainda existem boas pessoas, de procedimentos legais, mas a maioria faz a triste diferença. Deve existir muito cuidado e respeito com a família do paciente com morte cerebral.


Será que alguma pessoa teve este diagnóstico para beneficiar componentes da máfia. Assim como existe a máfia dos órgãos humanos, a máfia das funerárias não fica atrás, pois as artimanhas são as mais variadas possíveis. Uma componente da máfia chegou a ser presa com três corações, um fígado e um pâncreas no carro, a mulher chama-se Lubomira. “Na carta dos profissionais da saúde do Conselho Pont. para a Pasta da Saúde (1994) podemos ler no n. 87: "Para que um indivíduo possa ser considerado um cadáver, basta confirmar a ocorrência da sua morte cerebral, que consiste na cessação irreversível de todas as funções cerebrais. “Quando a morte cerebral é devidamente corroborada, isto é, depois de se ter procedido às verificações de rotina, é lícito efetuar a colheita de órgãos, bem como prolongar, por meios artificiais, as suas funções orgânicas, para assim os conservar vivos tendo em vista posteriores transplantações,"

O dilema é dramático: por um lado é urgentíssimo proceder à colheita de órgãos para salvar muitos; por outro, não só os fins não justificam os meios -- nunca é lícito fazer o mal para se conseguir o bem -- como, em caso de dúvida, de se há ou não vida, não é lícito presumir ou sequer dar o consentimento para a colheita, ou proceder à mesma. “Neste caso a lei não deveria ser melhorada, como se propõe no primeiro ponto, mas abolida”. Importa, pois, um esclarecimento de tal modo seguro que não deixe lugar a qualquer dúvida. Nuno Serras Pereira – estamos de acordo com o que afirma Nuno em seu artigo, visto que a verdade, porém, é que o Estado ao dispor dos órgãos de um cadáver age com uma "prepotência qualificada" porque, ao dar por pressuposta uma delegação que não lhe foi concedida, se arroga o poder de substituir a sua vontade à da pessoa concreta. Se a pessoa nada diz e não explícita nenhuma ato de vontade doadora. Não se pode, pois concluir que porque nada disse queria dizer sim. O dom não se presume. Importa que o consentimento seja explícito. Deveria, então, o Estado sensibilizar, por todos os meios ao seu alcance, recorrendo à comunicação social, às escolas, aos locais de trabalho, às famílias, centros de saúde, misericórdias para uma cultura da doação.

Todo o cidadão receberia um convite formal por parte do Estado para declarar a sua vontade de, em caso de morte certa, dar ou não os seus órgãos para transplante. Deveria, igualmente, informar, nesse convite, que, no caso de não haver resposta, os órgãos poderiam ser colhidos, uma vez pedido, se possível, o consentimento dos próximos. Estaria assim criado um pacto entre o Estado, que convidaria as pessoas a exprimirem-se, lhes garantindo o respeito por sua vontade, e os cidadãos que, informados de que, se propositadamente não respondessem, ficariam, a saber, o que lhes aconteceria depois de mortos. Pelas nuanças aqui expostas o Brasil tornou-se o País dos absurdos, pois tudo de ruim acontece e a falta de amor para com o próximo é constante, pois os urubus de plantam não respeitam o sofrimento alheio, visto que o azimute deles sempre está direcionado para o vil metal. E assim nosso Brasil pelo egoísmo, pela inveja e pela vontade desenfreada de ganhar dinheiro, muitos usurpadores preferem o mal para obter seu lucro custe o que custar. A nossa confiança nas autoridades brasileiras está maculada, pois todo dia surge um caso novo de corrupção e são anunciadas as famigeradas CPI (Comissões Parlamentares de Inquéritos) que no frigir dos ovos nenhum resultado positivo trará para a sociedade brasileira.

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI E DA ALOMERCE

terça-feira, 19 de maio de 2009

LUCAS E JOÃO

LUCAS E JOÃO

Poderíamos aqui estar falando de dois seres humanos comuns, na realidade os dois eram hominais mais do que comuns, mas quando passaram a conviver com o iluminado Mestre Jesus, seus nomes obtiveram mais importância e nos dias atuais quem estuda a Bíblia consegue assimilar e guardar estes nomes com mais carinho e fidelidade. Seguidores de Jesus, discípulos do Mestre são figuras exponenciais do Novo Testamento, ao lado de Marcos e Matheus. Numa revista religiosa uma indagação nos chamou a atenção e procuramos entender a passagem para respondermos dentro da ótica como vemos na parte literal do Livro. A indagação tem como forte a vida de Jesus e o porquê ele ressuscitou pessoas mesmo sabendo que elas morreriam novamente? Tal pergunta está em Marcos 1: (41, 42) e em João 5: (28, 29; 11:45), bem como: “a Bíblia indica que tanto Maria como Marta se interessavam por coisas espirituais? Lucas 10:38, 39 e João 11:24.


Existem passagens na Bíblia que muitas pessoas traduzem equivocadamente porque Jesus falava muitas vezes através de parábolas. A maior dificuldade que o homem enfrenta com relação à sua reforma interior ou reforma íntima é não aceitar uma religião, mas lutar contra seus próprios defeitos. Em Lucas 10:38, 39 está assim descrito:” Indo eles de caminho, entrou Jesus num povoado. E certa mulher, chamada Marta, hospedou-o em na sua casa. “Tinha ela uma irmã, chamada Maria e esta se quedava assentada aos pés do Senhor a ouvir-lhe os ensinamentos”. Até aqui as duas mulheres mostravam que tinham uma grande afeição e respeito a Jesus. Em João 11: 24 vemos o seguinte: “Eu sei, replicou Maria, que ele há de ressurgir na ressurreição, no último dia”. Aqui as duas já discutiam o destino de Jesus no ultimo dia. Só que o último dia aqui explícito na Bíblia seria o último dia de Jesus na Terra, pois ele seria morto e crucificado. Jesus disse: “Eu sou a ressurreição e a vida. “Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo o que vive e crê em mim, não morrerá eternamente”.


Nesta passagem existe um, porém na expressa “ainda que morra” Jesus disse mesmo que esteja morto viverás. É bom frisar que quando Jesus se referia a “morto” não significava a “estagnação biológica”, e sim aquelas pessoas que nunca fizeram o bem, a caridade, não acatassem seus ensinamentos e só estavam ligadas a coisas materiais e praticavam o mal sem piedade. Antes da transfiguração Jesus dirigia-se ao Monte Tabor em companhia de Pedro, João e Thiago e ao deparar-se com um jovem, o convidou a segui-lo. O moço olhou meio espantado para Jesus disse: “mestre não posso, pois ainda tenho que enterrar meu pai. Jesus olhou para o jovem e foi incisivo quando afirmou: “Deixai que os mortos enterrem seus mortos”. Como pode um morto enterrar outro morto?


Deixo a resposta para quem quiser respondê-la. Já em Marcos 1(41:42) vemos: “Jesus profundamente compadecido, estendeu a mão, tocou-o, e disse-lhe: quero, fica limpo! “No mesmo instante lhe desapareceu a lepra, e ficou limpo”. Aqui é um caso de cura. Em João 5 (28, 29) e (11:45) encontramos o seguinte: “Em João 5:11 vem assim descrito: “Ato que ele lhes respondeu: o mesmo que me curou me disse: toma o teu leito e anda”. Mais um caso de cura. Em 45: “Não penseis que eu vos acusarei perante o Pai; quem vos acusa é Moisés, em quem tendes firmado a Vossa confiança”. João 5 (28:29), “Não vos maravilheis disto, porque vem à hora em que todos os que se acham nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão” “Os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida; e os que tiveram praticado o mal, para a ressurreição do juízo.”

Como citamos nas entrelinhas sobre o significado da palavra (morto) o que para Jesus significava e aqui nestas passagens veio o fortalecimento daquilo que enunciamos. Quem estuda a religião tomando como base a ciência sabe que ali nos túmulos só se encontram os restos mortais, pois o Perispírito ou Espírito como queiram já se liberou da matéria inerte e que será consumida pelos vermes. Os que praticaram o bem terão um desprendimento que não será sofrível e seguirá o destino dado por Deus, mas os que praticaram o mal também ressuscitarão em espírito, mas passarão pelo juízo de Deus.

Sua jornada espiritual será muito atribulada no mundo espiritual e aqueles que são apegados demais por coisas matérias ainda hoje não acreditam que ressuscitaram e estão aqui no orbe terrestre perturbando a vida dos encarnados. Jesus no último dia na Terra morreu crucificado em consequência do egoísmo e da inveja humana, mas como Espírito puro, ressuscitou em espírito se materializou e passou 40 dias e 40 noites na Terra para mostrar o amor que tinha por seus irmãos. A materialização só é possível através da ectoplasmia. Depois que cumpriu a missão terrena teve que subir aos céus e como no mundo espiritual não há lugar para coisas materiais, por isso teve que liberar o ectoplasma. Em muitas paisagens em que se vê a Ressurreição do senhor uma substância esbranquiçada é deixada para trás, essa substância é o ectoplasma que por ser material não poderia fazer parte do espiritual.


ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI E DA ALOMERCE

segunda-feira, 18 de maio de 2009

NAZISMO

NAZISMO

A revista “Isto É” de nº. 2.062 / ano 32 – de 20/05/2000, traz uma matéria assaz importante, e que preocupa a tão fragilizada segurança brasileira. “A sociedade dos novos Nazistas brasileiros”. Com exclusividade informa que eles têm ligações internacionais, armas e até um plano de governo para dividir o País. Seríamos inocentes em afirmar que este problema não nos proporciona preocupação. O líder segundo informação da mídia escrita é Ricardo Barollo, 34 anos, administrador. “Conseguimos algumas nuanças que mostram o que foi o que é atualmente, e as inúmeras preocupações que trouxeram para o planeta em que vivemos. “Comunismo, Nazismo, Fascismo, Integralismo e Positivismo são ideologias semelhantes quanto a pedirem um Estado forte, terem uma receita racional ou científica para o desenvolvimento, dependerem ou esperarem por uma guerra ou revolução para domínio mundial, e terem origem em minorias fanáticas extremamente ativas.

“Essas ideologias (pessoalmente e para meu uso, eu defino "ideologia" como uma tese sociopolítica em adequação a um conceito peculiar de natureza humana), na ordem em que estão citadas, decrescem em sua virulência, embora, sob objetos diferentes, as agressividades do comunismo e do nazismo se equivalham”. (Rubem Queiroz Cobra - Doutor em Geologia e bacharel em Filosofia). Todos sabem os efeitos aterrorizantes que o nazismo causou ao mundo durante a segunda guerra mundial. Milhões de inocentes foram brutalmente mortos através da inalação de gás venenoso e nem sabiam. “O crime descortinou uma rede organizada de nazistas no Brasil, como ramificações em vários Estados e conexões com outros países, Barollo e Dayrell eram líderes dos dois maiores movimentos nacionais. Hitler defendia a tese de que o mundo deveria ser somente de raça pura (arianos) e se este maluco tivesse saído vitorioso na segunda guerra mundial, o que seria do mundo hoje? Os dois brasileiros têm o mesmo ideal, pois defendiam que a raça branca estava em extinção e, por isso, a miscigenação deveria ter fim.

É muita prepotência para duas pessoas e seus seguidores. Cuidado Brasil, pois este tipo de organização não tem piedade de ninguém, visto que todos sem exceção devem ter o mesmo perfil do exterminador. Eles chegaram a comemorar os 120 anos de Hitler com discursos e ações regadas à cerveja. Um duplo homicídio foi o estopim de tudo, e revela também à existência de novos adeptos e seguidores de Hitler no Brasil, com armas, conexões e planos políticos. Traçaram até uma nova Babel de nome Neuland que seria um país com a mesma ideologia que Adolf Hitler implantou em 1934 na Alemanha. Vejam a audácia dos perigosos neonazistas; “em primeiro lugar tomariam São Paulo e à Região Sul do País e depois 22 países da Europa e o restante do Brasil iria sofre o pão que o diabo amassou. O livro Hitler enfatiza quais deveriam ser os objetivos práticos do partido e delineia as diretrizes para sua propaganda.

Ele salienta a importância da propaganda adequar-se ao nível intelectual dos indivíduos menos inteligentes da massa que pretende atingir, e que ela é, e deve ser avaliada não pelo seu grau de verdade, mas pelo sucesso em convencer. Os veículos da propaganda seriam os mais diversos, incluindo todos os meios de informação, eventos culturais, grupos uniformizados, insígnia do partido, tudo que pudesse criar uma áurea de poder. Hitler escolheu a cruz suástica como emblema do nazismo; acreditam alguns de seus biógrafos que devido ao fato de ter visto esse símbolo talhado nos quatro cantos da abadia dos beneditinos em Lambach-am-Traum, na Áustria superior, onde ele havia estudado quando criança. Na Argentina existe uma organização com três mil membros, de onde vieram às armas do crime para o Brasil. Um paranaense, um gaúcho e um paulista são os líderes do grupo segundo informações policiais.

E aqui ficamos a meditar: como existe discriminação neste País. Dayrell criou um meio de propagar as idéias do grupo, ele criou um pequeno jornal para divulgação das atividades do grupo, o Martelo é o nome da desgraça. Estavam recrutando membros para a organização, com avaliação feita através de computadores, por documentos enviados por e-mail com senha de acesso para maior segurança. Os candidatos teriam que responder 30 perguntas dissertativas. “Os fins justificam os meios”. “Quem era Adolf Hitler?” Quem governava a Europa na década de 1940? Reportar fatos históricos era reprovação certa. Dayrell foi assassinado por três membros do grupo, outro membro do grupo Gustavo Wendler, 21 anos acredita que a organização vai se fortalecer e que seus amigos negros, estrangeiros, homossexuais e judeus não poderão invadir o espaço, confirma outro membro Rodrigo Mota de 19 anos. A revista faz um relato da herança do carrasco Hitler: “1914: começa a primeira Guerra Mundial. Ele luta na França e na Bélgica e é condecorado por bravura”.

Pode Freud? 1919 o operário Anton Drexler e o jornalista Karl Herrer fundam o Partido Nazista na Alemanha. Hitler entra para o grupo no ano seguinte. Em 1923 ele tenta tomar o poder num golpe de estado, mas é preso. Em 1925, escreve o livro “Minha luta”, que traz seu projeto para uma nova Alemanha, anuncia seu ódio pelos judeus e comunistas. Em 1931 seu partido abre no Brasil uma representação em São Paulo, estuda a ameaça comunista e o apoio a Hitler. Em 1932 o partido no Brasil é reconhecido pelo governo alemão, Plínio Salgado lança as bases da Ação integralista Brasileira (AIB), partido de ultradireita e em 1935 reúne 800 mil adeptos, já em 1935 acontece um encontro Hitlerista na Alemanha que atrai 102 brasileiros com ascendência alemã. Em 1936/37 militares brasileiros vão à Alemanha para receber treinamento da Gestapo, a polícia dos nazistas chefiada por Heinrich Himmler em troca, Getúlio Vargas entrega comunistas e judeus. Getúlio cria o Estado Novo e um geógrafo nazista mapeia a região do Jarí, no Amapá e avalia a possibilidade de instalar uma colônia tropical nazista na região amazônica.

Estas são as cenas dos horrores que aconteceram no passado. A matéria muito bem feita pelos jornalistas Suzane G. Frutuoso, de Curitiba e João Lopes. Um espírito de disciplina militar traduzido em um automatismo de obediência assinalado pelo característico bater dos calcanhares impedia, entre militares e civis, a reação às ordens mais absurdas recebidas de qualquer superior hierárquico, o que permitiu à repressão atingir um grau de brutalidade metódico e eficiente nunca visto.

Foi decretada a eliminação não apenas dos judeus, mas de todos que não se conformavam aos padrões de cidadania estabelecidos na doutrina, quer por inconformismo político, quer por defeito eugênico ou falhas morais. Gabriel Marcel, em "Os homens contra o homem", ressalta a elaborada técnica utilizada para voltar contra si mesmos os judeus, levando-os a aviltar-se e a se odiarem, instigando entre eles disputas por alimento, em que perdiam sua dignidade. Isso tudo na Alemanha de Hitler. A hora é de meditação, visto que a situação de nosso País é bastante complicada, muitas nuanças negativas acontecem todos os dias, o dia todo, onde a maioria das autoridades luta em benefício próprio e a população sofrendo as conseqüências do descaso político posto em prática nos dias atuais. O poder de locupletação é grande em consequência a corrupção aumenta na mesma proporção que a pobreza, a miséria, o desemprego, o tráfico e o uso de drogas, aniquilam boa parte dos brasileiros. Cuidado Brasil! Pensem Nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI E DA ALOMERCE

sábado, 16 de maio de 2009

COMPREENSÃO E AMOR

COMPREENSÃO E AMOR

Jesus ama em plenitude está inserido em Jô 15,12-47 na Bíblia. Plenitude é uma palavra de origem latina plenitudine e tem como sinonímia a qualidade ou estado de pleno. Em plenitude, em plena ou máxima extensão, brilho e glória. “O meu mandamento é este: amem uns aos outros como eu amo vocês. Ninguém tem mais amor pelos seus amigos do que aquele que dá a sua vida por eles. Vocês são meus amigos se fazem o que mando. Eu não chamo mais vocês de empregados, pois o empregado não sabe o que o seu patrão faz, mas chamo vocês de amigos, pois tenho dito a vocês tudo o que ouvi do meu Pai. Não foram vocês que me escolheram; pelo contrário, fui eu que os escolhi para que vão e deem fruto e que esse fruto não se perca. Isso a fim de que o Pai lhes dê tudo o que pedirem em meu nome. O que eu mando a vocês é isto: amem uns aos outros”.

Amor é uma palavra muito forte e de importância vital para o ser humano, eis aqui alguns significados da palavra: “Derivação latina amore é um sentimento que predispõe alguém a desejar o bem de outrem, ou de alguma coisa, sentimento de dedicação absoluta de um ser a outro ser ou a uma coisa; devoção extrema, sentimento de afeto ditado por laços de família e afeição, amizade, carinho, simpatia, ternura. As palavras de Jesus na Bíblia precisam ser bem estudadas, visto que cristo falava através de parábolas, quase sempre e algumas pessoas não entendiam o significado de suas expressões linguísticas. Da passagem de Jô 15, 12-17 separamos alguns trechos sobre a palavra de Jesus: 1- “O meu mandamento é este: amem uns aos outros como eu amo vocês. Ninguém tem mais amor pelos seus amigos do que aquele que dá a sua vida por eles.

Mandamento tem como significado o ato ou efeito de mandar; mandado, mando prescrição, preceito, regra, a ordem contida num mandado ou num preceito legal. Cada um dos preceitos do decálogo e cada um dos preceitos da Igreja. Antes de tentarmos explicar as palavras queremos dizer que muita gente ainda faz confusão afirmando ser Jesus Deus. Jesus é o filho de Deus, mas apesar desta filiação Jesus não possui deidade, se assim fosse ele seria Deus também. “Amem uns aos outros como eu amo vocês”. Será que no Orbe terreste existe amor entre os hominais? Claro que não, pois a imperfeição do homem é muito grande. Aliado ao egoísmo e ao orgulho o hominal só pensa em benefício próprio e o amigo que se lixe. Amor como o de Jesus não existirá a não ser que um dia sejamos Espíritos Puros iguais a ele.

Quem dá a vida por um amigo? Quase impossível, mas esta raridade pode existir, principalmente no seio dos heróis. Será que Jesus quando balbuciou estas palavras estava se referindo aos heróis? Quando o Mestre afirma que foi ele que nos escolheu para dar o fruto para que ele não se perca, algo estava relacionado com o mandamento anterior, pois o fruto a que Jesus se referia são nossos irmãos, que devemos amá-los para que não enveredem e rumem aos caminhos tortuosos e pecaminosos. Se não existe amor entre os hominais como é que o Pai vai cumprir o que Jesus disse? “Isso a fim de que o Pai lhes dê tudo o que pedirem em meu nome. “O que eu mando a vocês é isto: amem uns aos outros”.

Até a maioria das religiões está desvirtuando suas finalidades e trocando os ensinamentos de Deus pelo capitalismo totalitário. Se o hominal amasse seu próximo a violência não seria o câncer do mundo. Coisas absurdas não aconteceriam como miséria, fome, tráfico humano, de drogas, pedofilia, prostituição infantil e adulta, meninos de rua não matariam ninguém, jovens e adolescentes estariam pregando o amor e a caridade, ao invés de estarem desobedecendo aos pais e se esbaldando nas bebidas e praticando atos que desabonam suas condutas. Estas consequências são frutos da falta de amor. Infelizmente, mesmo aqueles que leem as palavras do senhor não as cumprem, mas mesmo assim repassam para os neófitos. Falar é muito fácil praticar é mais difícil.

Enquanto, Jesus preparou o caminho da felicidade para nós, o próprio homem vem desobedecendo as leis divinas e o resultado está aí para todo mundo ver. Não somos anjos e sim pecadores. Os anjos são serafins, querubins, tronos são os mais elevados. Domínios, virtudes e poderes são anjos intermediários, já os príncipes, arcanjos e os anjos propriamente ditos são considerados inferiores em suas escalas. Para complementar o demônio é considerado um anjo, visto hierárquicas. Daimon palavra grega que significa anjo tem sua conotação, mas muitos preferem chamar de demônio, mas este anjo pode ser do bem e do mal. A guisa de esclarecimento: nem Nicodemos o doutor das leis entendeu as palavras de Jesus, quando Jesus disse que: “O homem para atingir o reino dos Céus, será preciso nascer de novo”. E Nicodemos indagou: “Mestre como pode um velho como eu adentrar o útero de minha mãe”? Jesus: Nicodemos você que o doutor das leis não entendeu as minhas palavras, imagine os que sabem menos... “Jesus então disse: o homem para nascer de novo deverá nascer da água e do Espírito”


ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI E ALOMERCE

quinta-feira, 14 de maio de 2009

FORÇA ESTRANHA OU FÉ

FORÇA ESTRANHA OU FÉ

Na vida hominal muitos casos especiais já aconteceram, uns estudados outros não. Os que ainda não foram estudados, mas os que chamam a atenção merecem ser. A “freak of the week” desta semana é Jodi, uma adolescente que não suporta mais as brincadeiras de mau gosto que fazem com ela por estar acima do peso. Ela decide experimentar, mesmo que sem saber, a “dieta do meteorito”: os produtos que ela usa em seu shake foram contaminados por pedras de meteoro que estão espalhadas na estufa de sua casa. O resultado é ótimo: mais de 10 kg em poucos minutos. Mas, como na vida real, isso tem um preço: ela passa a ser uma devoradora de gordura – especialmente gordura animal. Por isso, ela devora um veado que havia atropelado e suga toda a gordura de um colegial engraçadinho que queria, com o perdão do trocadilho, tirar uma lasquinha dela. Esquisito esta história! Na realidade estas nuanças são inserções de um filme anotamos e resolvemos ilustrar a nossa matéria. Lex está passando por seu check-up médico.

Ele descobre que sua contagem de glóbulos brancos é altíssima. Como a última vez em que ele se viu doente foi antes da chuva de meteoros, ele começa a se perguntar se ele também pode ter sido afetado. Por isso, vai até o “Torch”, jornal dirigido por Chloe, onde ele finalmente conhece nossa repórter abelhuda e seu “Wall of Weird” (ou “Parede das Esquisitices). Lá estão registrados os casos mais estranhos acontecidos em Smallville desde a chuva de meteoros. Chloe sugere que Lex procure o Dr. Hamilton, famoso mineralogista que se especializou nos meteoritos de Smallville. Dr. Hamilton é interpretado por Joe Morton, famoso por suas participações em dezenas de seriados e filmes, como “O Exterminador do Futuro 2”. Neste episódio, ele interpreta um personagem um tanto esquisito e recluso, mas que acaba caindo na tentação de trabalhar para Lex, pesquisando sobre os meteoros.

A festa de aniversário de Lana está sendo preparada na mansão de Lex. Como Whitney tem um teste de futebol, mais uma vez Clark aproveita-se da ausência do namorado oficial para ocupar sua posição, acompanhando Lana. E, mais uma vez, não comparece, porque está muito ocupando salvando Pete de ser devorado por Jodi. No final, ele consegue ainda ganhar alguns pontos com Lana, dando a ela um presente bastante original: uma noite num drive-in improvisado, onde ambos assistem a um desenho do Pernalonga, relembrando uma noite parecida que Lana teve com seus pais. Bastante tocante. Ponto para o Clark! Não foi dos melhores episódios, mas serviu como apresentação para o Dr. Hamilton, que terá um papel importante nesta primeira temporada. Por acaso nas nossas pesquisas na Rede Mundial de Computadores encontramos um site muito interessante em que anotamos estes acontecimentos. Interessou-nos bastante e fomos até o fim da história.
“Lex está passando por seu check-up médico. Ele descobre que sua contagem de glóbulos brancos é altíssima. Como a última vez em que ele se viu doente foi antes da chuva de meteoros, ele começa a se perguntar se ele também pode ter sido afetado. Por isso, vai até o “Torch”, jornal dirigido por Chloe, onde ele finalmente conhece nossa repórter abelhuda e seu “Wall of Weird” (ou “Parede das Esquisitices). Lá estão registrados os casos mais estranhos acontecidos em Smallville desde a chuva de meteoros. Chloe sugere que Lex procure o Dr. Hamilton, famoso mineralogista que se especializou nos meteoritos de Smallville. Dr. Hamilton é interpretado por Joe Morton, famoso por suas participações em dezenas de seriados e filmes, como “O Exterminador do Futuro 2”.

Neste episódio, ele interpreta um personagem um tanto esquisito e recluso, mas que acaba caindo na tentação de trabalhar para Lex, pesquisando sobre os meteoros. A festa de aniversário de Lana está sendo preparada na mansão de Lex. Como Whitney tem um teste de futebol, mais uma vez Clark aproveita-se da ausência do namorado oficial para ocupar sua posição, acompanhando Lana. E, mais uma vez, não comparece, porque está muito ocupando salvando Pete de ser devorado por Jodi. No final, ele consegue ainda ganhar alguns pontos com Lana, dando a ela um presente bastante original: uma noite num drive-in improvisado, onde ambos assistem a um desenho do Pernalonga, relembrando uma noite parecida que Lana teve com seus pais. Bastante tocante. Ponto para o Clark! Não foi dos melhores episódios, mas serviu como apresentação para o Dr. Hamilton, que terá um papel importante nesta primeira temporada.

Esta sinopse é o espelho do filme que nos interessou bastante e aqui está a fonte para que os interessados possam aquilatar melhor o desenrolar do filme. http://www.tdseries.com.br/2009/01/smallville-episdio-0107-craving.html/ é este o endereço eletrônico de onde retiramos esta sinopse. Queríamos também colocar a disposição dos curiosos uma seita fundamentalista que se estabeleceu na região Sul dos Estados Unidos da América do Norte (EUA). É notório que muitos fatos que nos chamaram atenção através dos tempos aconteceram em território americano. Esta seita da qual estamos a falar é a Free Pentacostal Holiness Church (Pentacostal Santidade Igreja grátis) o contrário da Universal onde você paga tudo. Nesta seita os membros acreditam piamente e ao pé da letra no conteúdo bíblico. Os pentacostais americanos afirmam que os crentes possuem o poder de desafiar veneno de todo tipo, fogo e serpentes.

Na religião os cultos são agitados e um verdadeiro frenesi toma conta do templo. Só achamos estranhos que eles seguem a Bíblia ao pé da letra, mas Jesus jamais aceitou tais ações ritualísticas. Os participantes dos cultos seguram cascavéis, ingerem veneno, passam fogo no corpo pisam e seguram brasa sem se queimarem. É estranho. O fogo não causa queimaduras nem desconforto, mas quem foi testar a veracidade queimou as mãos. A seita foi estudada por um médico psiquiatra de nome Berthold Schwarz em Nova Jersey pelos idos de 1959. Os paroquianos seguravam lampiões pelas mãos e pelos pés e não se queimavam. Estranho. O médico depois do estudo afirmou que os participantes dos cultos entram numa espécie de transe, no entanto a dúvida persiste e a ciência foi incapaz de desvendar o mistério. Se quiserem mais detalhes sobre a seita procurem ler o livro de Charles Berlitz (O Livro dos fenômenos estranhos). É muito bom e aconselho para quem gosta de fenômenos, mas não tem nada a ver com o Ronaldo do Corinthians.

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI E DA ALOMERCE

quarta-feira, 13 de maio de 2009

CALAMIDADE PÚBLICA

CALAMIDADE PÚBLICA


A calamidade pública poder ser decretada quando existir danos à saúde e aos serviços públicos em sua totalidade. Nas condições de emergência ou calamidade pública os governantes podem contratar pessoas, serviços e obras sem licitação. Pode também obter recursos federais ou estaduais mesmo que estejam em débito com a União ou o Estado. Resta saber se o pronto atendimento vai ser colocado a disposição das áreas afetadas. Chuva atinge mais de um milhão em 13 estados, diz Defesa Civil. Governo diz que enviou mais de 132 mil cestas básicas às vítimas. Trinta e sete pessoas morreram em decorrência de temporais. A situação em toda região Norte e Nordeste é trágica, mas as ações governamentais, principalmente do governo federal têm sido muito acanhadas. A Cruz Vermelha afirma que existe uma dificuldade muito grande de deslocar o pouco que foi apurado, visto que a única solução de transporte é por via aérea.

Ficamos a imaginar quando o estado de santa Catarina estava debaixo d’água, à movimentação foi uma coisa fora do comum. A mobilização foi geral, inclusive estados do Nordeste se mobilizaram para ajudar os desabrigados pelas chuvas, mas a recíproca não está sendo verdadeira. Onde estão os meios de comunicação do sudeste do país e de outras regiões brasilianas, afinal senhores o Nordeste também é Brasil. Será que até na hora do desespero somos esquecidos e discriminados? Crianças, idosos, morrem a míngua por falta de alimentação, medicamentos e por incrível que pareça pela falta de água potável. Balanço da Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec), ligada ao Ministério da Integração Nacional, informa que as chuvas já provocaram danos em 357 municípios de 12 estados: Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe, Acre, Amazonas, Pará. Segundo dados repassados pelas defesas civis estaduais, 1.150.900 pessoas foram afetadas por alagamentos e deslizamentos. Do site G1 observamos o seguinte: “O relatório nacional, divulgado dia 12 do mês de abril, mostra ainda que 196.365 pessoas estejam nas condições de desalojadas e por falta de abrigos tiveram que ir para casas de parentes e amigos.

Um montante de 99.709, desabrigadas seguiu para abrigos públicos. No total, 37 pessoas morreram em decorrência das chuvas, em oito estados (Ceará, Maranhão, Bahia, Alagoas, Paraíba, Sergipe, Pernambuco) O número de mortos era maior, mas, segundo a Sedec, a Defesa Civil do Amazonas revisou os dados e informou que não houve mortes relacionadas ou decorrentes das cheias. O governo federal diz que já enviou cestas de alimentos, material de limpeza e kits de abrigos para moradores das regiões atingidas pela chuva. Foram disponibilizadas 132.150 cestas de alimentos, compostas por arroz, feijão, açúcar, óleo, leite em pó, farinha de mandioca e macarrão. Um total de 1,4 milhões de itens como colchões, cobertores, travesseiros, fronhas, lençóis, filtros, lonas e mosquiteiros foram encaminhados às vítimas dos alagamentos. No Nordeste, o Ceará e o Maranhão são os estados que tem o maior número de municípios atingidos (78 cada). No Norte, a situação é mais crítica no Amazonas, que teve 44 cidades prejudicadas. Estas informações do site G1 carecem de veracidade, pois o que foi prometido para Santa Catarina ainda está sendo empurrando com a barriga. Vejam como as informações não batem: o jornal Diário do Nordeste publica: “Em solidariedade às vítimas das enchentes do Ceará, grupo de servidores públicos e estudantes desencadeiam uma massificada divulgação do quadro crítico das chuvas no Ceará em uma Rede de Solidariedade lançada na Internet, repassando para milhares de e-mails, transmitindo a cobertura de textos e fotos do Diário do Nordeste.

“Se a chuva proporciona beleza, pare e contemple; mas se gera angústia e destruição, ande e ajude”. A frase anterior, que iniciava a reportagem do Caderno Regional do último domingo, virou o lema dos internautas que divulgam as notícias sobre a situação das cheias no Ceará. Estamos adicionando estas notícias para desmentir o que foi dito em determinada emissora de televisão e não condiz com a realidade, senão vejamos: “Esperamos que os demais brasileiros nos entendessem, e nos ajudassem a socorrer os nossos conterrâneos nordestinos, assim como fizemos para Santa Catarina no ano passado e que no momento sofre com a seca. Esse é o preço que estamos pagando e vamos continuar pagando devido à poluição e degradação do meio ambiente”. O momento é de ajuda, não é necessário nem ler a matéria do Diário do Nordeste na íntegra. “No início basta olhar para a foto publicada na matéria e se transportar para o lado daquele que está apenas pedindo um prato de comida, porque está ilhado de água poluída, pagando pelo erro que não cometeu, diz a mensagem de João Marcélio, do município de Jaguaribe, a milhares de internautas brasileiros”.

Queremos saber até que ponto a população do Norte e Nordeste será discriminada pelo resto do Brasil. Solidariedade não tem raça, nem classe social tem que ser gerida por todos. A irmandade tão bem pregada por Jesus Cristo não repercute mais nos corações de determinados brasileiros. Estão mais preocupados com uma Copa do Mundo que acontecerá aqui e que serão gastos bilhões e a fome e a miséria continuará florescendo no Brasil. Ainda acrescenta: “imagine se fosse o nosso filho, o teu irmão, sobrinho, parente, enfim, um ser humano com um prato vazio pedindo comida, o que você faria? Esse é o ponto desesperador de um ser humano”. Todos os dias novos e-mails são espalhados às dezenas de milhares contendo as imagens do Diário do Nordeste com os estragos das chuvas e o desespero das famílias que perderam a casa, mas por pouco não perderam a vida. Felizmente temos que parabenizar a mídia local pelo apoio disponibilizado aos excluídos e lamentar a desatenção de outras regiões do Brasil que não aderiram à campanha e sem sentimentos de irmãos. Devemos seguir o velho jargão popular de que uma mão lava a outra e as duas lavam a face. Até quando My God?

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI E DA ALOMERCE

terça-feira, 12 de maio de 2009

ESQUIZOFRENIA

ESQUIZOFRENIA

A palavra esquizo é uma variante do grego schízein que alinhada à outra palavra tem como sinonímia básica fender e separar. A palavra frenesi tem derivação latina phrenesis, e francesa frénésie tem como sinônimos: delírio, desvario, tresvaria, associando-se ao entusiasmo delirante; excitação, arrebatamento ou atividade sucessiva; agitação, impaciência, inquietação, bem como impertinência, importunidade, enfado. Já a palavra frenética (o) tem a derivação latina phreneticu e sua adjetivação representa as particularidades do humano se tornar um delirante, desvairado, furioso, arrebatado, veemente, exaltado, impaciente, inquieto; rabugento, convulso e agitado. As duas palavras são mais ou menos parecidas e com nomenclaturas quase que idênticas. A esquizofrenia que é a palavra da matéria epigrafada pode ser associada a esquizocéfalo, esquizogênese, esquizotimia. Devemos ressaltar que não somos da área médica, mas já tivemos contato com algumas pessoas possuidoras de esquizofrenia. Na realidade o que seria o significado desta doença tão propalada e que teve um impulso com o surgimento de um personagem de uma novela portador deste transtorno.

Quando alguma doença é apresentada pela mídia televisiva ela desperta curiosidades e chama a atenção de inúmeras pessoas. Alguns profissionais de medicina dizem que pode ser um estado de psicose, loucura e insanidade. Já outros afirmam ser uma doença mental que se caracteriza por uma desorganização ampla dos processos mentais. É um quadro complexo apresentando sinais e sintomas na área do pensamento, percepção e emoções, causando marcados prejuízos ocupacionais, na vida de relações interpessoais e familiares. Os médicos psiquiatras são os mais indicados para cuidarem do portador deste distúrbio. A esquizofrenia é um termo que engloba várias formas clínicas de psicopatia e distúrbios mentais próximos a ela, sua característica fundamental é a dissociação e a assintonia das funções psíquicas, disto decorrendo fragmentação da personalidade e perda de contato com a realidade. Conversando com um psiquiatra da família ele nos falou sobre a esquizofrenia hebefrênica que é a forma de esquizofrenia observada, em geral, em adolescente, e que se caracteriza por distúrbios da afetividade, regressão e hipocondria; hebefrenia. Aproveitando o ensejo indagamos se é difícil a convivência com o esquizofrênico (a)? Afirmou que sim.

Procuramos então algumas fontes para sabermos se é difícil conviver com um esquizofrênico, mas preferimos ouvir da família de um deles: os familiares não gostam que toquem no assunto, entretanto, alguns membros familiares disseram que esse transtorno mental traz muito sofrimento para o doente como para a família. É um dilema, um sofrimento, uma preocupação constante, visto que em crises podem acontecer tentativas de suicídios. Dizem que a doença tem sintomas positivos, negativos e cognitivos (Do latim cognitus, particípio passado de cognoscere, 'conhecer', + - Ivo, que está relacionado à cognição, ou ao comportamento). Para nos aprofundarmos mais no assunto procuramos um site que nos foi indicado por um amigo, o http://www.abcdasaude.com.br/. “Para fazer o diagnóstico, o médico realiza uma entrevista com o paciente e sua família visando obter uma história de sua vida e de seus sintomas o mais detalhada possível. Até o presente momento não existem marcadores biológicos próprios dessa doença nem exames complementares específicos, embora existam evidências de alterações da anatomia cerebral demonstráveis em exames de neuro-imagem e de metabolismo cerebral sofisticados como a tomografia computadorizada, a ressonância magnética, entre outros.
Além de fazer o diagnóstico, o médico deve tentar identificar qual é o subtipo clínico que o paciente apresenta. Essa diferenciação se baseia nos sintomas que predominam em cada pessoa e na evolução da doença que é variada conforme o subtipo específico. Os principais subtipos são: paranóide (predomínio de delírios e alucinações) - desorganizada ou hebefrênica (predomínio de alterações da afetividade e desorganização do pensamento) - catatônico (alterações da motricidade) - simples (diminuição da vontade e afetividade, empobrecimento do pensamento, isolamento social) - residual (estágio crônico da doença com muita deterioração e pouca sintomatologia produtiva). “Como podemos notar é um transtorno sério e que merece os devidos cuidados com o doente”. É importante frisarmos que até hoje não se conhece nenhum fator específico causador da Esquizofrenia.

Há, no entanto, evidências de que seria decorrente de uma combinação de fatores biológicos, genéticos e ambientais que contribuiriam em diferentes graus para o aparecimento e desenvolvimento da doença. Sabe-se que filhos de indivíduos esquizofrênicos têm uma chance de aproximadamente 10% de desenvolver a doença, enquanto na população geral o risco de desenvolver a doença é de aproximadamente 1%. Outra indagação nos vem à mente: tem cura este transtorno? Este é um tema controverso e atualmente muito estudado pela comunidade médica. Antes do aparecimento dos sintomas já descritos, pode existir uma fase inicial da doença a qual se designa de pródromos. Nesta fase surgem alterações do comportamento mais inespecíficas tais como isolamento social, alteração da personalidade, depressão. Como são inespecíficas, estas alterações podem ser observadas noutros jovens, que mais tarde não desenvolvem esta doença. Têm sido realizados estudos que procuram perceber se intervenções nesta fase podem ou não evitar o aparecimento da doença. Apesar de alguns resultados promissores, não existe ainda um consenso entre os médicos à cerca deste tema. Por isso o doente deve ter acompanhamento médico constante, pois pelo andar da carruagem ainda não podemos afirmar que a doença é curável, mas sabemos que o controle e indispensável.

Fazendo novas inserções ou pesquisas anotamos um fato que nos chamou a atenção: os relatos estão no site: http://psiadolescentes.wordpress.com/esquizofrenia/ Os ‘Charros’ (cannabis) podem provocar esquizofrenia? A relação entre o uso de drogas (especialmente a cannabis) e a esquizofrenia tem sido controversa. No entanto, têm-se vindo a acumular provas que a utilização de cannabis é um fator de risco para o aparecimento da esquizofrenia, especialmente quando a sua utilização é iniciada numa idade jovem ou por pessoas com história de esquizofrenia na família. Quem consome cannabis parece ter um risco 2.5 a 6 vezes superior de desenvolver esquizofrenia, sendo o risco maior quanto maior é o consumo desta substância. No que tange ao chegar ao doente e sabermos se ele é portador é importante e alguns detalhes são importantes: se a pessoa não reconhece que está doente, muitas vezes não é possível convencê-la a procurar ajuda. Se for um colega de escola uma forma de ajudar pode ser falar com o professor responsável pela turma. A escola poderá entrar em contato com os serviços de saúde para sinalizar o problema. Por outro lado podes procurar falar com um familiar dessa pessoa, e explicar-lhe as tuas preocupações. Os familiares podem depois procurar ajuda junto dos serviços de saúde A medida mais correta em caso de suspeita é procurar um especialista no assunto. Os usuários de drogas que meditem bem, pois além de outros problemas causados pela droga, podem tornar-se esquizofrênicos em potencial. Aos pais de famílias procurem saber onde andam seus filhos, onde estão agora? O que estarão fazendo durante suas ausências. Cuidado e canja de galinha nunca fizeram mal a ninguém.

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI E DA ALOMERCE

segunda-feira, 11 de maio de 2009

NESTE MUNDO TUDO É POSSÍVEL

NESTE MUNDO TUDO É POSSÍVEL



Fomos tomados de surpresa depois que abri um e-mail endereçado a minha pessoa por amigos. Procuraram-me para repassar detalhes de notícias veiculadas na mídia impressa, principalmente aquelas que não circulam em todo mundo. Um aspecto que poderá ser verdadeiro, ou mais uma forma duvidosa ou boatos, que lidamos quando somos conduzidos a navegar nos mares bravios da Rede Mundial de Computadores, a Internet. Se tiver respaldos ou não queríamos saber das autoridades ligadas à saúde ou a OMS. Será que eles estão sendo enganados? Sabemos que a gripe suína surgiu com uma rapidez de um jato supersônico aterrorizarando o mundo, visto que a mídia para usa de todas as artimanhas para obter sucesso e audiência. Infelizmente! Os empresários que comercializam e trabalham com esta fonte de renda sentiram-se prejudicados e forçaram as autoridades a tomar uma atitude, pois o prejuízo para eles seria de grande monta. O H1N1 por decisão da Organização Mundial de Saúde (OMS) passou a se chamar AH1N1 com direito a novo batizado e certidão de nascimento.



Diz o clichê popular que: “O povo aumenta, mas não inventa”, “É trocar seis por meia dúzia”, Os casos foram se multiplicando tendo como ponto inicial a cidade do México. Uma Pandemia estava na ameaça de acontecer a qualquer momento se as autoridades locais e mundiais não tomassem medidas drásticas para conter a epidemia. Anunciaram mortes nos Estados Unidos de uma criança que manteve contato com um doente. Várias mortes anunciadas no México, só que os cadáveres não eram vistos. A população com receio de manter contato com doentes passou a usar indiscriminadamente máscaras e era tantas que o estoque se esgotou numa rapidez tremenda. Contaminação aqui, ali e acolá eram as notícias na mídia televisiva. Depois para amenizar a situação disseram que o vírus poderia ser combatido com antigripais comuns. O Brasil entrou na lista depois que noticiaram quatro casos suspeitos, sendo três pessoas liberadas e uma ainda internada e em tratamento. Foi um ruge-ruge de apavorar qualquer um ser hominal e mortal. A movimentação nas fronteiras foi fortalecida, a fiscalização nos portos e aeroportos contou com o apoio da vigilância sanitária.



Perguntamos ou indagamos: será que esta epidemia não será mais uma balela para esquecermos uma provável epidemia de dengue que vem por aí, pois o excesso de chuvas com os buracos nas ruas, estradas, bocas de lobos entupidas aumentaram o volume de água parada em toda capital do Ceará e quiçá no Brasil inteiro. Não é preciso explicar eu só queria entender. Esta notícia que chegou as nossas mãos e merece ser averiguada com rigor, mesmo que haja certa desconfiança. “Seguro morreu de velho, desconfiado ainda vive”. Senhores do setor de saúde o teor do e-mail é o que escrevemos abaixo. Deixamos a responsabilidade da averiguação com os senhores, pois o zelo pela saúde da população é de responsabilidade dos setores governamentais que cuidam das endemias. Sobre a Gripe Suína: - A Roche agradece: “Sabiam que o vírus da gripe das aves foi descoberto há mais de 10 anos, no Vietnã”? Sabia que desde então morreram apenas 100 pessoas Em todo mundo, em todos estes anos? Sabiam que os norte-americanos foram os que alertaram sobre a eficácia do Tamiflu como preventivo? Sabiam que o Tamiflu apenas alivia alguns sintomas da gripe comum? Sabiam que a sua eficácia perante a gripe comum está questionada por grande parte da comunidade científica? Sabiam que o governo brasileiro divulgou que tem estoque do remédio Tamiflu para atender a nove milhões de pessoas? Sabiam que perante um Suposto vírus mutante como o H5N1, o Tamiflu apenas aliviará a doença?



Sabiam que quem comercializa o Tamiflu é o laboratório Roche? (de origem Suíça, mas cuja fábrica nos EUA (Estados Unidos da América do Norte) é uma das maiores do mundo). Sabiam que quem comprou a patente do Tamiflu em 1996, foi a Gilead Sciences Inc.? Sabiam que o Presidente da Gilead Sciences Inc, hoje o seu principal acionista é Donald Rhumsfeld, ex Secretário da Defesa dos EUA? Sabiam que a base do Tamiflu é o anis estrelado? Sabiam que a Roche foi quem ficou com 90% da produção mundial desta planta? Sabiam que as vendas do Tamiflu passaram de 254 milhões de dólares em 2004 para um bilhão em 2005? Dar pra imaginar quantos milhões poderá ganhar a Roche nos próximos meses, se continuar o negócio do medo? Ou seja, o resumo da história é o seguinte: Os amigos da América decidem que um fármaco como o Tamiflu é a solução para uma pandemia que ainda não aconteceu.



Que este fármaco não cura nem a gripe comum. O vírus não afeta o homem em condições normais. Rhumsfeld vende a patente do Tamiflu à Roche e esta lhe paga uma fortuna. Roche adquire 90% da produção do anis estrelado, base do antivírico. Os governos de todo o mundo ameaçam com uma pandemia e compram da Roche quantidades absurdas do produto. Estaremos loucos ou somos idiotas? A gripe suína, ou gripe "A", é menos letal que a dengue! Fonte aqui: http://www.nowpublic.com/world/tamiflu-scandal-gilead-sciences-donald-rumsfeld-connection/. Queremos dizer que a existência deste site pode ser verdadeira ou não, pois para enganar o povo existem muitas águias de plantão. Diante da crise econômica mundial muita coisa poderá acontecer. Se duvidarem até carro que voam eles pode inventar para superar a crise. A crise em que os estados Unidos da América estão metidos foi obra e fruto dos bancos de lá que lançaram nos mercados ações que nada valiam a preços milionários, as conhecidas ações sem valor real ou podre como queiram. Países ricos caíram na armação da bolsa americana e se fu..., pois ditas ações não tinham o valor estipulado e nem os bancos tinham respaldos para pagá-las quando do pedido de resgate. É mais uma de americano. Em tempo: o site existe é seu endereço eletrônico é o mesmo que está acima citado:





ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI E DA ALOMERCE

terça-feira, 5 de maio de 2009

AMOR

AMOR

A palavra amor pode ter diversas conotações, boas ou más. O amor doentio e o amor obsessivo seriam duas variantes para o mal. Nas relações com amigos e familiares mais uma nuança de amor negativo pode surgir de uma hora para outra, seria o amor possessivo aquele que dá ideia de posse. Sentimentos desequilibrados, consequências dolorosas são viés capazes de eliminar o amor pela raiz. Diante de alguns fatos poderíamos perguntar onde encontrar um amor sadio, fraterno que nos tragam satisfação sem a temida dor. Falar de amor não é tarefa fácil, pois se assim fosse o desamor não estaria em evidência no mundo atual. Como a maioria das palavras da língua portuguesa amor deriva do latim amore e sua sinonímia é muito forte.


Sentimento que predispõe alguém a desejar o bem de outrem, ou de alguma coisa, sentimento de dedicação absoluta de um ser a outro ser ou a uma coisa; devoção extrema, sentimento de afeto ditado por laços de família, sentimento terno ou ardente de uma pessoa por outra, e que engloba também atração física. Vejam a importância do amor em nossas vidas tanto em nosso domicilio quanto fora dele. O contato com as pessoas deve se reverter em forma de amor. Um bom tratamento ao lidar com alguém é um ato de amor. O amor não é restrito somente as pessoas, ele interage entre os animais e torna-se também uma atração física e natural entre animais de sexos opostos. Quem diria que no reino animal irracional está inserida a atração física. Costumamos falar no amor a primeira vista, este amor se caracteriza pelo amor súbito e ao primeiro encontro.


Já no amor carnal existe uma inigualável busca pela satisfação sexual e ao amor físico. O amor físico nada mais é do que o amor carnal. O amor livre é o que repudia a consagração religiosa ou legal, representada pelo casamento. Muitas pessoas falam dos mil amores e ficamos a meditar o que seria este amor? De mil amores é uma expressão brasileira que quer dizer de todo o gosto, com o maior prazer e capricho. Pensem num amor arretado? Porém o bom mesmo é fazer amor, isto é, ter relações sexuais, copular, fazer o amor e no linguajar nordestino este ato é fazer amorzinho. Pelo amor de Deus amor por caridade ou por compaixão. Amor materno é amor de mãe, amor paterno amor de pai. Já o tão conhecido amor platônico é um tipo de amor que existe a ligação amorosa sem aproximação sexual. Destacam-se ainda entre as sinonímias de amor os seguintes tipos de amor: Amor passageiro e sem consequência, capricho, aventura amorosa, adoração, veneração, culto, amor a Deus, bem como afeição, amizade, carinho, simpatia, ternura.


Inclinação ou apego profundo a algum valor ou a alguma coisa que proporcione prazer, bem como os instrumentos ou personas que representam o amor: cupido, aquela pessoa ou coisa muito linda, um amoreco, um sonho, uma graça, um encanto, uma coisa, um doce, um doce-de-coco, um negócio, um troço, uma uva. E não fica por aí, pois a lista é muito extensa e haja amor para todos os gostos. Pessoa muito bondosa, ou muito simpática, uma coisa, um amor de pessoa. A quem diga que a paixão é um tipo de amor. Será? Não poderia ser diferente, a paixão deriva do latim paixão passione que representa sentimento ou emoção levado a um alto grau de intensidade, sobrepondo-se à lucidez e à razão, amor ardente; inclinação afetiva e sensual intensa, afeto dominador e cego, obsessão, entusiasmo muito vivo por alguma coisa, atividade, hábito ou vício dominador.


A paixão pode se tornar um perigo para quem gosta de outrem, visto que pode ser uma disposição contrária ou favorável a alguma coisa, e que ultrapassa os limites da lógica, parcialidade marcante, fanatismo, cegueira. Consideramos o amor salutar e a paixão um perigo para a vida. Não existe coisa pior do que amar e não ser amado. Deus deixou o livre-arbítrio para o homem. Portanto, aquele que quiser seguir o seu próprio caminho, desprezando a vontade de Deus para a sua vida, está livre. Deus é tão grandioso em amor que respeita a escolha de seus filhos. Ele como Pai orienta o que é bom e agradável, mostrando sempre aquilo que é ruim. O cristão que tem uma visão aberta sabe que alguém que esteja realmente interessado demonstra o desejo de assumir algo sério, não apenas satisfazer desejos carnais. O grande Vinicius de Moraes ao se referir ao amor disse: “Que não seja imortal, posto que seja chama, mas que seja infinito enquanto dure”. Um amor que vem causando polêmica na sociedade mundial é o amor de pessoas do mesmo sexo, o já tão conhecido homossexualismo.


ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI E DA ALOMERCE

Antonio Paiva Rodrigues

Minha foto
Fortaleza, Ceará, Brazil
Este blog tem por finalidade divulgar o jornalismo pelo Brasil e no mundo. Bem como assuntos doutrinários e espirituais.