TOP BLOG

TOP BLOG
Espiritismo Redivivo

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

DIA INTERNACIONAL DO IDOSO

DIA INTERNACIONAL DO IDOSO

“O tempo endereça às criaturas o seguinte aviso, em cada alvorecer: Certamente, Deus te concederá outros dias e outras oportunidades de trabalho, mas faze agora todo o bem que puderes porque dia igual ao de hoje só terás uma vez.” (Um sábio). Ser idoso nos dias atuais é sinal de sofrimento e abandono, discriminação e bancarrota. “O bem pede doação total para que se realize no mundo o bem de todos”. O ser humano nasce, cresce da infância passa a adolescência, da adolescência para a fase adulta e daí o azimute será direcionado para a terceira, ou melhor, idade, quer queiram quer não! O espelho usado no dia a dia mostra o passar do tempo e o pior é que envelhecemos e não tomamos consciência e conhecimento. Deus na sua magnitude deu ao homem o instinto de conservação e ele está usando-o muito bem. Um grande filósofo da antiguidade quando se referia as pessoas de idade afirmava: “da mesma forma que gosto de sentir um toque de maturidade num jovem, gosto do idoso que conserva algo do aroma da juventude. Aquele que se esforça por misturar assim a juventude e a maturidade pode tornar-se velho pelo corpo, mas seu espírito permanecerá jovem” (Cícero).
Cada instante, cada dia, cada ato que praticamos em nossa vida terrena são labores desde que tenha uma finalidade precípua e única, o bem. O dom da vida que nos foi dado deve sempre ser valorizado no momento atual, pois não sabemos até quando vai nossa missão nesse pequeno espaço que ocupamos, mas diante desta incerteza Deus nos dá o reconforto para suportarmos os imprevistos que a vida nos oferece. É bom que se frise que a Organização das Nações Unidas divide os idosos em três categorias: pré-idosos (entre 55 e 64 anos), os idosos jovens (entre 65 e 79 anos ou 60 e 69 anos, para quem vive na Ásia e na região do Pacífico) e idosos avançados (com mais de 70 ou 80 anos). O crescimento dessa população é um fenômeno mundial e, em vinte anos, o Brasil será o sexto país com o maior número de idosos no mundo. Adentrando o site das Organizações das Nações Unidas (ONU) vimos uma situação bem delineada e por recomendação da própria organização, o ano de 1999 foi considerado o Ano Internacional do Idoso. Para a organização, o envelhecimento da população significa uma possibilidade de amadurecimento dos atos e das relações sociais, econômicas, culturais e espirituais da humanidade.
Palavras como independência, participação, cuidado, auto-satisfação, possibilidade de agregar novos papéis e significados para a vida na idade avançada são, resumidamente, palavras-chave dentro de qualquer política destinada aos idosos, em qualquer parte do mundo. O Dia Internacional é comemorado dia 1º de Outubro. O governo brasileiro com intuito de homenagear o dia de seus idosos, através da Comissão de Educação do Senado Federal, em 1999, como principal objetivo o de conhecer os direitos e dificuldades dos idosos brasileiros. É comemorado no dia 27 de setembro. Em 2000, segundo o Censo, a população de 60 anos correspondia a 8,6% da população total. Segundo IBGE, os idosos brasileiros chegarão a 30 milhões em duas décadas, quase 13% da população. Entre as capitais, Rio de Janeiro e Porto Alegre se destacam com as maiores proporções. O idoso brasileiro em um ponto ele pode ser reconhecido, pelas datas comemorativas, visto que o ONU criou o dia internacional e o Brasil o dia nacional do idoso. No Brasil, o Dia Nacional do Idoso foi estabelecido pela Comissão de Educação do Senado Federal, também em 1999, com o objetivo de conhecer os direitos e dificuldades dos idosos brasileiros. A Constituição de 1988 foi a primeira a demonstrar preocupação em relação ao idoso.
A Política Nacional do idoso, através da Lei nº. 8.842, de 4 de janeiro de 1994, implementou os cursos de Geriatria e Gerontologia Social nas faculdades de Medicina. Resta saber se os responsáveis pelos idosos estão dando as condições necessárias de uma vida digna e sem maiores sofrimentos. Em maior percentual os idos estão sujeitos ao mal de Alzheimer e a doença de Parkinson, além do risco maior de AVC (Acidente Vascular Cerebral) e quedas pela perda natural de cálcio pelo organismo. Grande parte dos casos de violência e maus-tratos contra idosos são cometidos por pessoas próximas a vitima – o vizinho, o amigo e, principalmente, os seus familiares. Antônio Quelce Salgado, presidente do Conselho Estadual do Idoso de São Paulo e membro do Conselho Nacional do Idoso, explica que a violência contra os idosos pode acontecer de várias formas, desde a violência psicológica, que se manifesta pela negligência e pelo descaso, até as agressões físicas. São comuns os casos de filhos que batem nos pais, tomam seu dinheiro, dopam-nos, deixam passar fome ou não dão os remédios na hora marcada.
Casos como esses últimos são chamados de abandono material. A Constituição Federal diz que é obrigação dos filhos darem assistência aos pais. Contudo, segundo Eneida Gonçalves de Macedo Haddad, coordenadora do núcleo de pesquisa do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM) esses direitos ficam no papel. Na realidade Eneida está com razão. São poucas famílias que tratam bem seus idosos, visto que alguns deles são cuidados por voluntários, instituições de caridade fraterna, mas a maioria é jogada ao léu e os filhos e parentes desaparecem e jamais retornam ao local de origem. O mais hilariante disto tudo é que os ingratos que agem desta maneira vão chegar à velhice e certamente não irão querer passar pelos mesmos sofrimentos. Aí temos que ressaltar: “Quem vê cara, não vê coração”. Nossos idosos merecem respeito e dignidade.


ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI-ALOMERCE E AOUVIR/CE

Nenhum comentário:

Antonio Paiva Rodrigues

Minha foto
Fortaleza, Ceará, Brazil
Este blog tem por finalidade divulgar o jornalismo pelo Brasil e no mundo. Bem como assuntos doutrinários e espirituais.